Banner
Contador de Visitas
554213


"Get the Flash Player" "to see this gallery."

PROCISSÃO - VIA SACRA 

UM AGRICULTOR DE CIRENE  AJUDA JESUS A CARREGAR A CRUZ
 
 
A procissão do Cristo Morto aconteceu às 19 horas da Sexta Feira Santa e foi organizada pelos jovens do Grupo Tabor e  do Crisma da paróquia Santo Inácio, coordenados pelas catequistas Mariana e Raquel.
 
A Via Sacra contemplou o caminho de Jesus, desde a condenação até a sua morte  e também abordou o cuidado com a Criação, em especial os biomas brasileiros, tema da Campanha da Fraternidade de 2017.
 
Os jovens preparam um grande mapa do Brasil com a representação de cada bioma que foi levado pelos jovens durante a procissão.
A caminhada iniciou dentro da Igreja, onde os jovens prepararam a 1ª estação, encenando a condenação de Jesus.
 
Terminada a estação, todos os participantes, com velas acesas, acompanharam  as imagens do Cristo Morto e de Nossa Senhora das Dores, que foram levadas até o pátio  e daí para a rua. Foram 11 paradas ao longo da Major Maragliano, Humberto I e França Pinto.
 
A cada estação aconteceu a leitura de um texto bíblico e uma conscientização sobre os biomas que foram feitas pela jovem Nicole e pela Hipólita. As paradas  aconteceram em frente a uma casa ou um prédio. 
 
A décima quarta estação foi feita no pátio da igreja , depois as imagens foram levadas até o altar, ao som do canto Vitória. A procissão contou com a animação do Pe. Mário e colaboração de muitos paroquianos que se prontificaram a carregar os andores. Os cantos foram dirigidos pela Pastoral da Música.
 
Ao longo da caminhada, contemplamos a queda de Jesus três vezes com a cruz, Verônica enxugando o Seu rosto, Seu encontro com sua Mãe e Seu consolo às mulheres de Jerusalém.
 
Muitas vezes tivemos vontade de assumir as atitudes do Cirineu que ajudou Jesus a carregar a cruz. Por fim, com medo e espantados, perto ou distante, assistimos passivamente à morte de Jesus.
 
Estáticos, contemplamos José de Arimatéia tirar o corpo de Jesus  e levá-lo ao sepulcro. Mesmo sabendo de todas aquelas brutalidades, tínhamos a certeza de que tudo aquilo passaria. A vida venceria a morte.
 
As fotos foram registradas pela Rami, da PASCOM.