Banner
Contador de Visitas
389331


Mensagens das Semanas Anteriores

Pensamentos da semana - Outubro 2012

"Todos virão cobertos de lágrimas e eu os receberei entre preces e conduzirei a todos para águas tranqüilas" (Jer 31,9).

O sacerdote é alguém tirado do meio do povo para se colocar a serviço deste mesmo povo. A missão do sacerdote é oferecer dons e sacrifícios pelos pecados do povo, ter compaixão dos que estão na ignorância e no erro (cf. Hb 5,1-6).

"Coragem , levanta-te, Jesus te chama" ( Mc 10,49b). Existem muitos gritos humanos que clamam por vida. Que o Senhor abra os nossos olhos para ver de onde emergem.

A fé supera os limites da vida humana. "Vai, a tua fé te curou" (Mc 10,49a).

"Jesus, Filho de Davi, tem piedade de mim" (Mc 10,47b). Existem duas situações de   cegueira: a de nascença, onde não temos consciência das coisas ao nosso redor e o fato de tornar-se cego, o sentido da perda para o  ser humano, é o caso do evangelho de hoje. O grito é a consciência da perda. (Pe. Mário)

Uma pergunta: qual é a pior cegueira: a física ou a do coração?

"O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos"(Mc 10,45).  

A lição do serviço é a porta de entrada da felicidade.( Pe. Mário) 

A carta aos Hebreus deste domingo nos fala: "aproximemo-nos  de Cristo com toda a confiança, do trono da graça, para conseguirmos misericórdia e alcançarmos a graça de um auxílio no momento oportuno"(Hb 4,16). 

Lutar por uma causa em favor dos mais pequenos é conquistar uma dupla alegria: para si próprio no gesto de servir, para o outro na conquista de qualidade de vida. ( Pe. Mário) 

Todo gesto de servir é um ato de amor. Quando alguém serve elimina as diferenças e diminui as distâncias entre as pessoas. (Pe. Mário) 

Façamos crescer dentro de nós o espírito missionário. A revitalização dos trabalhos pastorais passa pela conquista do sentido missionário. Busquemos ser solidários com os missionarios (as). (Pe. Mário) 

A sabedoria é o maior bem que podemos pedir a Deus. "Preferi a sabedoria aos cetros e tronos e, em comparação com ela, julguei sem valor a riqueza" (Sb 7,8).

A acolhida a Palavra de Deus é sinal de busca da sabedoria. "A Palavra de Deus é viva, eficaz e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes" (Hb 4,12).

Para conquistar a vida eterna é necessário: conhecer e viver os mandamentos, desapegar-se dos bens e seguir Jesus (cf. Mc 10, 17-30).

Assim disse Jesus: "Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus. É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus"(Mc 10, 23.25).

"Quem deixar tudo para seguir Jesus receberá cem vezes mais em tudo nesta vida"(Mc 10,29).

A partilha, a fraternidade, a disponibilidade para com Deus nos torna próximos uns dos outros. Evangelizar é ir ao encontro do outro.(Pe. Mário)

"O cristão não deve ser morno; este é o mais grave perigo para o cristianismo hoje. A tepidez desacredita o cristianismo".(Bento XVI). A nova evangelização é uma redescoberta da alegria   de sermos batizados.

Deus criou o ser humano para viver com os outros seres na harmonia, solidariedade, paz e fraternidade, sem submissão. 

Assim diz o Senhor: "Por isso, deixará o homem o seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher, e eles serão uma só carne” (cf. Gn 2,24). Esta afirmação da Sagrada Escritura aponta que o vínculo existente entre o homem e a mulher é indissolúvel e torna-se um forte questionamento para o mundo pós-moderno que busca o provisório e não definitivo satisfazendo-se com o mais confortável.  

"Esta sim é osso dos meus ossos  e carne da minha carne” (cf. Gn 2,23). Na história humana vimos muitos abusos do homem, atitudes de prepotência, domínio sobre a mulher. Hoje vimos que este quadro tem sofrido muitas mudanças. Diríamos: estamos na busca de um modelo mais equilibrado. 

A família é a base para a formação de uma personalidade, equilíbrio e maturidade. O lugar privilegiado onde são transmitidos os valores. Investir na família é garantia de um desenvolvimento saudável de todos. 

A morte de Jesus na cruz é uma atitude de solidariedade com a humanidade e em nada contrapõe  a grandeza e glória recebida do Pai, pelo contrário é gesto de amor. 

"Deixai vir a mim as crianças. Ele abraçava as crianças  e as abençoava impondo-lhes as mãos" (cf. Mc 2,14.16). A valorização de  Jesus pelas crianças não era apenas pela sua inocência, sua pureza, mas também porque eram expressão de vida. 

Atenciosamente

Pe. Mário Pizetta

Pároco

 

Pensamentos da Semana - Setembro de 2012

 

A advertência  vem do apóstolo Tiago: "Agora ricos, chorai e gemei, por causa das desgraças que estão para cair sobre vós" (cf. Tg 5,1).  "Riqueza acumulada é sinal de morte; partilhada é sinal de vida"(cf. Liturgia Diária - pistas para a reflexão pg.90) 

“O Reino de Deus é maior que o pequeno grupo que formamos - maior que o que somos em nossa paróquia, nossa comunidade, nosso grupo ou nossa Igreja" (cf.Torres, Fernando - Meditações sobre as leituras dominicais - pg.286 - Ed. Ave Maria - pg. 286 - SP)  

Fazer o bem e anunciar  a mensagem de Jesus  não é privilégio de ninguém. Vejam o que diz Jesus: "Ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim. Quem não é contra nós é a nosso favor" (cf. Mc 9,39-40). 

A liberdade religiosa é uma das conquistas mais expressivas do ser humano. O fato de existir formas diferentes de prestar culto a  Deus expressa a busca do homem ao transcendente.  (Pe. Mário) 

O espírito ecumênico é uma conquista  da modernidade e se baseia  na crença de que Deus não se revelou apenas  na tradição judeo-cristã, mas também através das grandes tradições religiosas como o hinduismo, islamismo etc....(cf. Prado, José Amaral de Almeida, Homilias Dominicais, Colégio Santa Cruz, pg. 339)

Viver o Evangelho de forma coerente é uma forma de incomodar a sociedade (Pe. Mário).

" Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos.”(cf. Mc 9,35).

A fidelidade a Cristo é  uma das expressões da vida do justo (cf. Tg  2,17-20).

Onde existe a inveja, a rivalidade, a cobiça e a disputa, está presente a injustiça e a verdade não convive.(Pe. Mário)

Os humildes  estão sempre mais abertos ao serviço. A Igreja deve estar sempre ao serviço da vida plena.(Pe. Mário]

A verdadeira compreensão de Jesus acontece sempre que alguém se dispõe a caminhar com ele. ( Pe. Mário)

A fé que não é traduzida em obras é morta (cf. Tg 2,17). Da mesma forma a religião que não se traduz em vida.

A liturgia da Palavra do 24º domingo nos apresenta uma pergunta de Jesus: "Quem sou eu para você?” (cf. Mc 8,29).

A forma como reconhecemos Jesus nos permite estabelecer parâmetros de existência. (Pe. Mário).

O ato de crer nos permite reconhecer a Deus como "o meu Auxiliador", por isso que somos fortes diante das dificuldades quando sentimos a sua presença (Pe. Mário).

"Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga” (Mc 8,34b).

Não basta dizer que acreditamos em Jesus é preciso também aprender a carregar a cruz juntamente com Ele.

Em tempos difíceis, busquemos palavras de esperança: "Criai ânimo, não tenhais medo". Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerarão os ouvidos dos surdos"(cf. Is   5,4a.5).

Os que acreditam e vivem a fé em Jesus Cristo não podem fazer acepções de pessoas (cf. Tg 2,1).

A religião se coloca a serviço da vida humana, eliminando toda forma de discriminação e exploração ( Pe. Mário).

Cristo abre nossos ouvidos  e libera a nossa língua para podermos escutar e proclamar suas maravilhas. "Efatá", "Abra-te"(cf. Mc 7,34).

"Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar "(cf. Mc 7,37).

Na abertura e acolhida a Palavra de Deus está a construção de uma nova criatura (Pe. Mário)

"Os pobres e marginalizados foram escolhidos por Deus para serem os herdeiros do reino" (cf. Tg 2,5b)

As recordações do passado que não favorecem a celebração da vida podem se tornar opressoras e nos fazem perder o sentido.  

"Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. De nada adianta o culto que me prestam, pois as doutrinas  que ensinam são preceitos humanos" (cf. Mc 7,6b-7).  

As celebrações na caminhada de uma comunidade são momentos fortes de recordação, manifestação da vida e do amor de Deus (pe. Mário).  

Nos alerta o apóstolo Tiago: "Sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos"(cf. Tg 1,22).  

Aqueles que praticam os ensinamentos do Senhor encontram a sabedoria e a inteligência em suas ações (cf. Dt 4,6).  

A participação na celebração da Eucaristia não pode se tornar uma obrigação mas constituir-se numa expressão profunda comunhão com Deus e a comunidade (Pe. Mário) 

Pe. Mário Pizetta
Pároco

 

 

PENSAMENTOS DA SEMANA - Agosto 2012

Nossa gratidão a todos(as) os catequistas e leigos engajados na vida da comunidade, buscando com seu exemplo, alegria, serviço, animar a todos na vivência dos valores que Cristo Jesus nos deixou através da Igreja.  

 Viver a fé e o compromisso cristão é uma questão de opção de vida. Exige um abandono gradativo de tudo o que é relativo para uma entrega total a Deus. Lemos no Livro de Josué deste domingo:" A quem quereis servir?"(cf. Js 24,15).  

A relação existente  entre o marido e a esposa, segundo o apóstolo Paulo, deveria ser como a relação de Cristo com a Igreja, uma relação de amor, atenção, respeito, um buscando o bem do outro. Todos nós formamos um só corpo (cf. Ef 5,21-32).  

A palavra de Deus pode parecer dura, difícil de ser escutada, pode até escandalizar, mas essas palavras "são espíritos e vida" (cf. Jo 6,60-69). 

A vocação ministerial é a manifestação do meu sacerdócio recebido no santo Batismo. Quanto mais eu vivo o meu batismo mais motivo eu encontro para viver a fé e o engajamento nos projetos em favor da vida. Quem vive o batismo tem mais sensibilidade em discernir o que é de Deus e o que vem de deuses que o mundo gera. 

Aproximar-se da Palavra de Deus e da mesa da Eucaristia é ter a certeza de estar batendo na porta certa. 

O carisma dado a um religioso ou religiosa  é um sinal vivo da presença do Espirito Santo na vida da sociedade.

Rezar pelas vocações  é pedir para que Deus suscite no meio de nós pessoas dispostos(as) a serem sinais vivos de Deus.

A festa da Assunção de Nossa Senhora é o reconhecimento da humanidade para uma mulher inteiramente disponível aos planos de Deus.(Pe. Mário)

"A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espirito se alegra em Deus meu Salvador porque olhou a humildade de sua serva". (Lc 1,46)

Deus realiza grandes obras nos corações humildes que acolhem os seus projetos. "Bendita és tu entre as mulheres e bendito  é o fruto do teu ventre....Bem-aventurada és tu porque acreditaste".(cf. Lc 1,43.45). A vivência plena de uma vocação é a manifestação do amor de Deus.(Pe. Mário)

Maria é o grande sinal da presença de Deus que aparece no céu. Os sinais de Deus são percebidos por quem tem fé.(Pe. Mário)

Ainda neste 19º domingo do tempo comum continuamos a escutar o que Jesus a nos dizer: "EU SOU O PÃO QUE DESCEU DO CÉU, QUEM DELE COMER NUNCA MORRERÁ"(cf. Jo 6,51s).

Na vida podemos encontrar muitas vezes dificuldades, no entanto, é necessário ouvir o que Deus fala ao profeta Elias: "Levanta-te e come"(cf. 1Rs 19,5.7).

O apóstolo Paulo alerta a comunidade de Éfeso e fala hoje a todos nós: procurem afastar entre vocês " a amargura, irritação, cólera, gritaria, injurias, mas revestir-se da bondade, compreensão, perdão, como filhos amados de Deus"(cf. Ef 4,32; 5,1).

Jesus é o alimento que dá sustenção a vida do ser humano. Ele é a energia de que todos nós precisamos. Jesus é o remédio que não encontramos nas farmácias.(Pe. Mário)

Jesus nos alimenta por meio de sua Palavra e da Eucaristia. A participação da pessoa na Eucaristia direciona o cristão para o engajamento na comunidade e sua inserção social. A comunhão é um gesto de comprometimento com o projeto de Jesus, por isso que ele é o alimento da vida eterna.(Pe. Mário)

A vocação é uma expressão do amor de Deus. Ao dar a cada um uma forma diferente de assumir a vida o Senhor nos mostra que ele é presença nas realidades da vida humana. Na manifestação vocacional de cada ser humano está o rosto de Deus.(Pe. Mário)

A família é um dos "tesouros mais importantes" e patromônio da humanidade"(Dap,432).

Assim diz Moisés a Aarão:
"Aproximem-se de Javé,pois ele ouviu as murmurações de vocês" (Ex 16,9)
Deus nunca abandona o ser humano.
Ele está sempre presente em nossa caminhada.
Para percebe-lo é necessário estar sempre sensíveis.

Na carta aos Éfésios o apóstolo Paulo nos faz algumas recomendações:
 -" Não vivam como pagãos cuja mente é vázia (Rf 4,17).
 - Perderam a sensibilidade e se deixaram levar pela libertinagem (Ef 16,19).
 - Deixem de viver como homens velhos que se corrompem com as paixões engagandoras, revistam-se do homem novo" (Ef 16,22-23).

"Vocês estão me procurando não porque viram sinais,mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos"( Jo 6,26).

"Trabalhem não pelo alimento que se estraga, mas pelo alimento que dura para vida eterna" ( Jo 6,27)

"Eu sou o pão da vida, quem vem a mim não terámais fome, e quem acredita em mim não terá mais sede"(Jo 6,35)

O viver humano não é apenas a busca da satisfação de necessidades básicas ou criadas. O homem precisa ter também razões mais profundas de viver.
A busca da religião e sua vivência deve impulsionar o homem a tornar-se cada vez mais imagem do divino na fraternidade, solidariedade e na criação de um mundo mais justo.(Pe. Mário)

Pe. Mário Pizetta
Pároco

 

Pensamentos da Semana - Julho 2012

Pensamentos de Santo Inácio:
- "A vitória mais bela que se pode alcançar é vencer a si mesmo".
- "Ninguem sabe o que Deus faria de nós, se não opuséssemos tantos obstáculos a sua graça".

- "Muita sabedoria unida a pouca santidade é preferível a muita santidade unida a pouco sabedoria".
 
 Assim diz o Senhor: "Comerão e ainda sobrará", " O homem distribuiu e ainda sobrou, conforme a palavra do senhor" (cf. 2 Reis 2,42-44). A partilha relatada no livro dos Reis neste domingo é um sinal, uma prefiguração da multiplicação  e a Ceia de Cristo.
 
Afirma o apóstolo Paulo: " vos exorto  a caminhardes com a vocação a que recebestes, com toda a humildade e mansidão, suportando-vos uns aos outros, no amor. Aplicai-vos a guardar a unidade de espirito pelo vínculo da paz"(cf. Ef 4,1-3). O apóstolo Paulo nos aponta uma descoberta que todo ser humano necessita fazer: a descobeta da sua vocação. Além disso nos indica atitudes necessárias para manter a unidade e a paz.
 
"Vendo o que Jesus tinha realizado aqueles homens exclamavam: " este é verdadeiramente o profeta, aquele que deve vir ao mundo" (cf. Jo 6,14). Á multiplicação dos pães foi um sinal que ele realizou. O povo para crer precisava de sinais. Jesus apresenta a eles estes sinais.
 
As necessidades básicas do ser humano não podem ser favores de quem tem mais,  mas direito de todo o ser humano. A sociedade humana no estabelecimento de suas  regras necessita criar condições para que todos tenham o necessário, não pode privilegiar este ou aquele. Uma das causas da violência é a falta de oportunidade para muitos, ou seja, este desiquilíbrio desenfreado que vivemos. Manipular os bens, sejam eles da natureza, bem como os produzidos por quem tem poder econômico não é de acordo com o evangelho pregado por Jesus. (Pe. Mário)

"Aí dos pastores que deixam perder-se e dispersar-se o rebanho de minha pastagem, diz o Senhor"(cf. Jer 23,1-6 ).
O profeta alerta para todos que exercem responsabilidades sobre grupos humanos para que exerçam suas funções com responsabilidade pois o Senhor fará justiça.

Jesus é o verdadeiro Pastor que nos CONDUZ - GUIA no caminho seguro e nos leva a habitar na casa da felicidade pelos tempos infinitos (cf. Sl 22(23)).

O sangue de Cristo nos aproxima da paz, da unidade, nele encontramos a reconciliação e temos acesso ao Paí.(cf. Ef 2,13-18).
O homem novo está em Cristo.

"Vinde sozinhos para um lugar deserto e descansai um pouco" (cf. Mc 6,31).
Em Jesus encontramos forças para suportar os fardos que nos cansam.

A oração, a meditação e a contemplação tornam-se os grandes segredos para o fortalecimento das virtudes.
São os desertos que o homem tem medo de ir.(Cf. Mc 6,30-34)- Pe. Mário

O deserto é mais do que um silêncio, ele é o encontro consigo mesmo. Pode ser que tenhamos medo do deserto porque ele nos aponta os limites. Alías, com mais clareza enxergamos as possibilidades quando reconhecemos os nossos limites.(Pe. Mário)

O profeta é um homem de Deus, embora possa sofrer rejeição, ele precisa ter coragem, ousadia e não temer. O Senhor está com ele (cf. Ez 2,2-5)

"Basta-me a minha graça. Pois é na fraqueza que a força se manifesta" (cf. 2Cor 12,7-10).

"Quando me sinto fraco, então é que sou forte, é nas fraquezas que busco a força de Deus" (2Cor 12, 7-10).

"Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus familiares (Mc 6,4s).

Vamos trabalhar para ter uma mente sábia e um coração sensível as necessidades do irmão. Quanto mais temos Deus dentro de nós mais enxergamos as necessidades do outro. (Pe. Mário)

O espirito missionário nasce do encontro com Jesus. Da eucaristia emana todas as luzes para nossa ação evangelizadora.( Pe. Mário)

O profeta está a serviço de Deus não dos interesses dos homens, por isso sua árdua missão é denunciar tudo o que é contrário ao projeto de Deus em relação a criatura Humana e a construção do reino de Deus (Pe. Mário). "Vai profetizar para Israel, meu povo" (Am 7,15b).

Quando o homem escuta o profeta de Deus se realizam : "A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão, da terra brotará a fidelidade e a justiça olhará dos altos céus"( cf. Sl 84).

Nossa eterna gratidão a Deus " porque Ele nos abençoou, escolheu antes da criação do mundo, predestinados a sermos seus filhos adotivos e no seu sangue perdoados de nossos pecados. Em Cristo nos fez conhecer o mistério de sua vontade e por fim o selo do Espirito Santo penhor da herança eterna" ( cf. Ef 1, 3-14).

O missionário, assim como o profeta, é um homem escolhido e enviado por Deus para levar a todas as pessoas a Palavra de Cristo a humanidade. Os (As) missionários(as) precisam ser homens ou mulheres totalmente livres, ousados, corajosos e despreendidos de tudo (cf. Mc 6,7-13).

Uma paróquia que se esforça para viver permanentemente o espírito missionárió torna-se uma paróquia dinâmica e no espirito nascente da Igreja, portanto, uma comunidade sempre aberta a ação do Espirito que conduz nossos caminhos. ( Pe. Mário)

 

Pe. Mário Pizetta ssp
Pároco

 

Pensamentos da Semana - Junho 2012

São Pedro e São Paulo representam os dois grandes pilares do cristianismo.

O Senhor nos livra de todos os temores (cf. Sl 36).

Deus esteve sempre ao meu lado, me deu forças e fez com que sua mensagem fosse anunciada integralmente (cf. 2Tm 4,17).

A chave, a pedra, a rocha, o pergaminho são expressões simbólicas da festividade dos apóstolos Pedro e Paulo.

A missão não nos leva a refugiarmos na Igreja, mas nos conduz ao coração do mundo (cf. Dap 148).

Confessamos o nome de Jesus quando o testemunhamos com nossa vida.(Pe. Mário)

"Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e o poder do inferno não prevalecerá contra ela (cf. Mt 16,18).

"Eu te darei as chaves do reino dos céus:tudo o que ligares na terra será ligado no céus; tudo o que desligares na terra será desligado no céus" (cf. |Mt 16, 19)

Lembrando São Pedro e São Paulo não esqueçamos de rezar pelo Papa, Bispos, Sacerdotes que são os seguidores dos dos apóstolos.

"O Senhor me chamou desde o ventre de minha, fez de minha palavra uma espada afiada"(Is 49,1-2). Cada nascimento representa uma obra de Deus. Alguns nascidos o Senhor chama para algo maior.João Batista é um deles.

"Trabalhei em vão, gastei minhas forças sem fruto, o Senhor me dará a recompensa"(Is 1,4). Muitas vezes em nosso trabalho pastoral, e mesmo na vida, temos estes mesmos sentimentos, esquecemos o sentido de inutilidade. Aliás às vezes é a aceitação do inutil que faz as grandes obras, as grandes maravilhas.

"Eu te farei luz das nações para levar a salvação aos confins da terra"(Is 1,6b).

João Batista "crescia e se fortalecia no espirito". Buscou nos caminhos do deserto a compreensão de sua vocação e missão (cf. Lc l,80). O ser humano também precisa passar pela experiência do deserto para compreender o seu chamado. O silêncio do deserto nos ajuda a compreender nossas ações, faz nascer novas esperanças.O deserto não significa retirada do mundo, mas silêncio operante, para escutar Deus e ver de forma diferente o mundo.

Deus, em cada tempo da história, nos mostra a sua fidelidade, muitas vezes confundimos a ação de Deus, por isso João Batista nos alerta:  "Eu não sou aquele que pensaisque eu seja, depois de mim virá aquele do qual eu nem mereço desamarar as sandálias"(cf. At 13,25).

Uma consciência missionária evita a estagnação das comunidades e torna dinâmica nossa ação evangelizadora.(Pe. Mário)

O reino de Deus é como é como alguem que espalaha a semente na terra (Cf. Mc 4,26).

O reino de Deus é como o grão de mostarda, a menor de todas as sementes, mas depois nasce, cresce e se torna a maior de todas as hoirtliças, que pode até abrigar os pássaros do céu (cf. Mc 4,31-32).

O homem pode afastar-se de Deus, mas Deus nunca esquece da sua alinaça. Ele é sempre fiel ( cf. Ezequiel 17,22-24).

Para que o reino de Deus cresça em nós é necessário que o coração humano esteja disposto a acolhê-lo. O coração homem é como a terra que faz crescer a semente (Pe. Mário).

Na confiança e esperança no Senhor está a compreensão de tudo o que é limitado e provisório (Pe. Mário).

Vamos recordar sempre: ao fazermos o anuncio da palavra de Deus somos como o agricultor que lança a semente na terra(cf. Mc 4,26-34).

A festa da Santíssima Trindade nos chama a criar e cosntruir uma sociadedade de partilha, solidariedade e justiça.

Deus nos chama a viver de forma unida e comunitária a luz da Trindade.

Somos filhos, herdeiros e coerdeiros de Cristo (cf. Rm 8,17).

Deus nunca abandona os que creem: "Eu estarei convosco todos os dias , até o fim dos tempos"(cf.Mt 28,20).

Recorde este episódio - Santo Agostinho interrogava a criança na beira do mar: " o que você pretende fazer levando continuadamente a balde de agua domar e esvaziando-o no poçoque fez na areia?". A criança respondeu: "quero colocar toda a agua do mar no poço". Santo Agostinho lhe disse: impossível! No que a criança também lhe respondeu:"Igualmente impossível é o que tu pretendes: compreender o mistério da Trindade".

Constituem-se parentes de Jesus quem faz a vontade de Deus.(cf. Mc 3,35)

O bem e o mal estão sempre presentes na vida humana, o ser humano é livre para optar por um ou outro.Na opção pelo bem teremos sempre a vida plena.

Quem está próximo de Cristo encontra-se mais fortalecido para vencer o mal.

O pecado é a forma de partilhar com o demônio, enquanto que a busca da justiça, paz, perdão, fraternidade, amor é o caminho de comunhão com Deus.

No Senhor eu coloco minha esperança, pois nele eu encontro o perdão dos meus pecados.(cf. Sl 129)

Justificar o próprio erro no comportamento do outro é fugir do problema e algo que desagrada a Deus.

Pe. Mário Pizetta
Pároco

 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 Próximo > Fim >>

Página 14 de 15