Banner
Contador de Visitas
554212


Mensagem da Semana

QUEM GUARDA OS MEUS MANDAMENTOS MOSTRA QUE ME AMA

O sexto domingo da Páscoa continua a apresentação da temática do Amor e Jesus promete aos discípulos a vinda do Espirito Santo.

Na primeira leitura, Lucas nos mostra que o entusiasmo pelo anúncio do evangelho pode ocasionar situações conflituosas. Aprendemos dos apóstolos a forma como superar estes momentos: o caminho da reflexão, do diálogo. Quando nos deixamos guiar pelo Espirito Santo nossas decisões são sempre as mais acertadas (cf. At 15,1.22.-29).

O evangelho de João continua a insistência de Jesus sobre o mandamento do amor. O senhor nos dirá que manifestaremos este amor, se guardarmos os seus mandamentos. Ao guardarmos os seus mandamentos estaremos vivendo no seu amor. Assim como um ramo somente produz frutos se tiver ligado ao tronco, da mesma forma iremos produzir muitos frutos quando estamos ligados a Cristo. Tudo o que não for compreendido agora o Espirito Santo vos fará compreender (cf. Jo 14,23-29).

A segunda leitura, também João, nos apresenta a Jerusalém celeste, com muitas portas, que significam que a eternidade está aberta a todos que vivem o projeto de Jesus. A imagem da morada que “desce do céu”, nos mostra que o amor de Deus vem ao encontro do homem (Ap 21,10-14.22-23).

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco.


NA PRÁTICA DO AMOR SOMOS RECONHECIDOS COMO DISCÍPULOS DE JESUS

No quinto domingo da Páscoa Jesus indicará para os seus discípulos e todos os que nele creem a forma de sermos reconhecidos: viver no amor. Vejamos as leituras:

A primeira leitura, o autor dos Atos, relata a volta de Paulo às comunidades onde ele tinha anunciado o evangelho, deixa anciões encarregados para animar as comunidades. Constatamos a propagação do cristianismo através de Paulo e Barnabé ( At 14,21-27), todos os que seguem Jesus são anunciadores do Reino de Deus.

O evangelho nos dirá como seremos reconhecidos no mundo: ”amai-vos uns aos outros, nisto sereis reconhecidos como meus discípulos” (cf. Jo 15, 35). Toda atitude carregada de amor, de justiça, da busca do bem comum revelam Deus. Jesus nos ensina que viver no amor não é criar ao nosso redor uma guerra. A falta de amor mata as esperanças. Jesus nos deixou o amor como caminho para construir um mundo melhor. Não construiremos um novo mundo pelo caminho da violência e da instrumentalização humana. Amor e vida caminham juntos.

A segunda leitura, o texto do Apocalipse nos mostrará a nova morada de Deus. Para lá irão todos aqueles que viveram o amor, que souberam vencer as tribulações. Nesta nova vivência, não teremos uma reprodução do que já vivemos, ali não existirá mais o sofrimento, a morte, tudo será novo ”eis que faço novas todas as coisas” (cf. Ap 21,1-5). O novo depende de todos nós. Cada um pode fazer a diferença.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


SOMOS OVELHAS CONDUZIDAS PELO GRANDE MESTRE: JESUS BOM PASTOR

Este 4º domingo nos mostra mais um rosto de Jesus: Pastor. Pastor é aquele que conhece suas ovelhas, elas o escutam e Ele dá sua vida por elas.

A primeira leitura, tirada dos Atos, nos informa que Paulo e Barnabé se encontram em Antioquia da Pisídia. Ali, uma grande multidão se reúne para escutá-los. A pregação, revolta os judeus, mas eles continuam firmes na pregação: “É necessário anunciar a Palavra de Deus” (cf. At 13, 14.43-52).

O evangelho, identifica as verdadeiras qualidades do Pastor: conhece as ovelhas, elas escutam sua voz e dá sua vida por elas (cf. Jo 10, 27-30). Cabe a cada um de nós perguntarmo-nos: quais são os pastores que escutamos hoje?

Na segunda leitura, João descreve que junto ao Cordeiro encontra-se um grande número de pessoas, todas vestidas de veste branca, elas são as ovelhas que seguiram o Pastor. Elas chegam, porque passaram pela grande tribulação (cf. Ap 7,27-30).

Hoje somos convidados a rezarmos pelo nosso Papa Francisco, para que continue sendo este grande exemplo de vida, indo ao encontro dos mais humildes, rompendo barreiras. Rezamos também para o nosso cardeal Dom Odilo e seus bispos auxiliares, para que continuem ajudando nosso povo de Deus. Rezemos também pelo nosso Pároco, Pe. Mário Pizetta, e nosso Vigário Pe. José Carlos.

Rezemos por todas as nossas lideranças, ser líder é exercer uma das missões do Pastor.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco.


AMAR E OBEDECER CAMINHAM JUNTOS

O terceiro domingo da Páscoa nos leva a dois momentos: Relato da aparição de Jesus e o diálogo de Jesus com Pedro. Os dois aspectos estão coligados, e carregam entre si uma comunhão. Amar será a condição para Pedro seguir Jesus e ao mesmo tempo obedecer, comportamento, que na sociedade atual, encontramos dificuldade para exercer.

Na 1ª leitura, vemos os apóstolos que respondem às autoridades que “antes devemos a obedecer a Deus, depois aos homens”. O projeto de Jesus é mais importante que uma simples submissão de poder (cf. At 5, 27-32.40-41).

O evangelho tem dois momentos: O primeiro momento onde o evangelista nos mostra os discípulos, depois da Ressureição, retornando às suas atividades da pesca, mas,  Jesus aparece diante deles, depois de pedir se eles possuíam algo para comer, e visto que nada tinham apanhado, disse: “ lançai as redes à direita da barca”. Por estar mais avançado no caminho da fé, João, reconhece ser o ressuscitado. Obedecem e voltam com uma quantidade enorme: 153 grandes peixes. Jesus come com eles. Para João evangelista esta é a terceira vez que Jesus aparece. O segundo momento é depois da refeição, quando Jesus pede a Pedro, por três vezes, se o amava, e Pedro chega a ficar triste. Jesus cobra de Pedro as três vezes que ele o nega. Depois disso Jesus  delega a Pedro: “Apascente o rebanho”. Apascentar é um ato de amor e obediência, exige abandono de si mesmo, para ir ao encontro do outro (cf. Jo 21,1-14).

Na segunda leitura, João descreve que ao redor do Cordeiro Imolado, estão milhares de criaturas: anjos, seres vivos, anciãos e todos cantavam e reconheciam que o Cordeiro é o Ressuscitado (cf. Ap, 5,11-14). Vemos portanto: quem ama, obedece. Quem obedece conquista muitos frutos.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco.