Banner
Contador de Visitas
554209


“O ENCONTRO DE DUAS MÃES E DUAS CRIANÇAS TRAZEM ESPERANÇA”

O quarto domingo do advento, onde acendemos a vela branca, nos mostra a visita de Maria a sua prima santa Isabel, o encontro de duas mães que trazem esperança, pois trazem em seus ventres sinais vivos de um novo mundo.

Miquéias, anuncia que Belém permanecerá no abandono até o dia em que uma mulher dará à luz. Esta criança apascentará o rebanho, não vai recuar e trará a paz para todos (cf. Mq 5,1-4).

O evangelho nos mostra o encontro de Isabel e Maria. Escutaremos neste domingo, da boca de Isabel, a identificação de Maria: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito  o fruto do teu ventre”. Isabel, afirma não merecer esta visita e proclama afirmando: “Bem-aventurada aquela que acreditou” (cf. Lc1,39-45).

A segunda leitura, a carta aos Hebreus nos diz que Jesus não veio repetir sacrifícios e holocaustos, como no passado, mas veio fazer a vontade de Deus. “Eu vim para fazer tua vontade” (cf. Hb 10,5-10).

Cada pessoa que acredita no Senhor, tem uma nova contribuição para o mundo.

FELIZ NATAL E UM NOVO ANO REPLETO DE MUITAS BÊNÇÃOS

OBRIGADO POR VOCÊ PRESTIGIAR NOSSO SITE

Pe. Mário Pizetta - Pároco


ALEGRAI-VOS: O SENHOR ESTÁ PRÓXIMO

 

O terceiro domingo do Advento, nos apresenta a cor rosa, para manifestar a nossa alegria pela vinda do Salvador. A Palavra proclamada vai nos ajudar na compreensão de toda esta alegria.

SOFONIAS, na primeira leitura, usa palavras fortes: “canta de alegria, rejubila povo de Israel, não te deixes levar pelo desanimo, o Senhor está no meio de tí”. São todas palavras que nos convidam a perceber um novo tempo (cf. Sf 3,14-18).

Lucas, no evangelho, mostra que uma diversidade de pessoas se aproximavam de João Batista, todos ficavam admirados e perguntavam-se diante do que escutavam: “o que devemos fazer?”. João Batista tocava em pontos fortes: a solidariedade, a ética, e o emprego da violência. A pregação de João Batista tocava as pessoas e muitos até interrogavam-se: não seria ele o Messias? O texto ainda nos mostra a grande humildade de João: “Eu batizo com água, mas depois de mim virá aquele que eu não sou digno de desamarrar as suas sandálias, ele vos batizará no Espírito” (cf. Lc 3,10-18).

A segunda leitura, de Paulo aos Filipenses, o apóstolo convida a comunidade a: “alegrai-vos no Senhor”, pois o Senhor está próximo (cf. Fl 4,4-7).

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


PREPARAI O CAMINHO DO SENHOR

Neste segundo domingo do Advento, quando acendemos a vela vermelha, dirigimos nosso olhar a João Batista, filho de Zacarias, que convoca a todos para um batismo de conversão, preparar os caminhos para receber o Senhor que vem.

Na primeira leitura o profeta Baruc pede a Jerusalém que afaste a veste do luto e da aflição, e revista-se da glória que vem de Deus, olhe para o oriente, onde o Senhor abaixará todos os altos montes. Que não perca a esperança de dias melhores de onde virá a misericórdia e a justiça (cf. Bar 5,1-9).

O evangelho de Lucas, num primeiro momento nos mostra a organização do poder Romano na Palestina no decimo quinto ano do império de Tibério Cesar, depois, nos mostra que a palavra de Deus foi enviada a João, filho de Zacarias, que convocava o povo para a conversão, lembrando as palavras de Isaias: esta é a voz que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor (cf. Lc 3-6).

Na segunda leitura escutamos como Paulo se alegra com a comunidade que acolhe a palavra do Senhor. O apóstolo pede ao Senhor que faça crescer sempre mais o amor, o conhecimento e experiência para discernir o que é melhor fazer para produzir os frutos da justiça (cf. Fl 1,4-6.8-12). A liturgia, por meio do precursor, nos pede uma mudança de mentalidade.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


ADVENTO: UM TEMPO DE CRIAR ESPERANÇAS

Iniciamos neste domingo um novo Ano Litúrgico, o  Advento, um tempo de reviver o mistério da Encarnação e renovar nossas esperanças. Jesus vem habitar em nosso meio.

A primeira leitura, do profeta Jeremias, nos diz que do rebento de Davi Deus fará surgir aquele que virá para estabelecer a justiça, trazer a paz, à vida às pessoas (cf. Jr, 33,14-16).

O evangelho proclamado tem  duas partes: a primeira Jesus anuncia a destruição de Jerusalém pelo poder romano. A segunda Jesus nos convida a manter-nos numa atitude de oração e vigilância. Este comportamento nos ajudará a permanecer firmes e de cabeça erguida. Não perderemos a sensibilidade das coisas de Deus (cf. Lc 21,25-28.34-36).

A segunda leitura Paulo apresenta o amor como base de  todas as relações a serem vividas na comunidade, pois quando praticamos o amor construímos uma santidade perfeita  e agradamos a Deus (cf. 1Ts 3,12-4,2).

Neste tempo do Advento vamos buscar dar a nossa vida mais esperança assumindo uma atitude de oração e vigilância constante.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco