Banner
Contador de Visitas
425643


Mensagens da semana Dezembro de 2017 PDF Imprimir E-mail

DEUS NÃO ABANDONOU O SEU POVO: É NATAL

As ruas estão decoradas, luzes se acendem, o movimento de gente que vai e que vem é grande.

As pessoas olham os preços, fazem cálculos, observam. Um clima diferente toma conta da cidade. Estamos no Natal. Deus não abandonou o seu povo, continua a caminhar com ele. A data nos lembra o nascimento de Jesus, mas ela se transformou na festa do consumismo, ainda existem aqueles, que além dos presentes, levam abraços, vão ao encontro dos perdões, da busca da paz. As narrativas relatam que Jesus, ao nascer, não encontrou lugar. Maria e José encontraram refúgio numa manjedoura, numa estrebaria. Foi ali, naquele lugar humilde, que aconteceu a sua acolhida. Os anjos anunciaram a sua presença e os pastores, homens do campo, foram os primeiros a visitar. O caminho da humildade é a estrada dos mistérios de Deus.

Ao olhar para o mundo, tristemente vemos que Ele, o Salvador do mundo, ainda não encontra lugar. Muito poucos são aqueles que o acolhem, pois a mente e o coração humano tem as preocupações distantes.

Meu irmão, minha irmã, desejo a você um Natal muito feliz, peço que acolha este Menino na sua mente, no seu coração e na sua família.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


“ESTAI SEMPRE ALEGRES”

O terceiro domingo do advento é chamado o domingo da alegria, pois o Senhor está chegando. 

A primeira leitura nos apresenta a missão do servo. O servo é Jesus que virá. Ele anunciará a boa nova aos pobres, vem curar nossas feridas e libertar os que estão presos (cf. Is 61,1-2.10-11).

Na segunda leitura, Paulo, recomenda aos tessalonicenses e a cada um de nós: “estai sempre alegres”, “daí graças em todas as circunstâncias”, “examinai tudo e ficai com o que é bom” (cf. 1Tes 5, 16-24).

No evangelho, encontramos novamente a pessoa de João Batista, que vem para ser o testemunho da luz. Interrogado por levitas, vindos de Jerusalém,  que queriam saber quem ele era, João responde: “ Eu não sou o Messias”, “nem Elias”, “Eu sou a voz daquele que grita no deserto: aplainai o caminho do Senhor”. Estas afirmações nos ajudam a compreender a missão de João Batista: preparar a estrada de muitos para acolher Jesus. A Igreja, também hoje tem esta missão: preparar os corações humanos para acolher este Menino Deus que vem até nós. Hoje, compete a cada um de nós pedir a sabedoria para discernir o que vem de Deus.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


COMO JOÃO BATISTA: VAMOS PREPARAR O CAMINHO PARA O SENHOR

Neste segundo domingo do Advento trazemos o profeta João Batista, o precursor do Messias: “Preparai os caminhos do Senhor, endireitai as suas veredas”.

O profeta Isaias, convida a comunidade a ter confiança sobre a vinda do Senhor: “preparai no deserto o caminho do Senhor, aplainai na solidão a estrada do Senhor”. Ele virá como um Pastor que carregará a todos com seu braço forte (cf. Is 40,1-5,9-11).

O evangelho, nos mostra a figura de João Batista, que retoma  as palavras do profeta Isaias, e acrescenta: “depois de mim, virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias”. João ainda nos lembra que ele batiza com agua, mas Ele vos batizará no Espirito Santo” (cf. Mc 1,1-8).

A segunda leitura, Pedro em sua segunda carta, nos alertará dizendo que o tempo de Deus é diferente do nosso tempo. A demora de sua chegada não nos deve deixar tristes. Precisamos estar sempre vigilantes (cf. 2 Pd 3,8-14).

Neste domingo acendemos a segunda vela da coroa do Advento, a Branca, anunciando que este menino é portador de Paz.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco


UM NOVO ANO LITÚRGICO

Com a festa de Cristo Rei, no último domingo, encerramos o ano litúrgico de 2017. Hoje, com o Advento, iniciamos um novo ano litúrgico, tempo de preparação ao Natal. A Igreja, ao longo de cada ano, nos oferece a oportunidade de reviver os principais mistérios da nossa fé.

Neste domingo, o 1º do Advento, o profeta Isaias, lamenta  que o homem se afastou de Deus e faz  uma súplica para que o Senhor volte o seu olhar, reconsidere seu comportamento e venha em socorro de todos aqueles que foram justos. Perdoe, esqueça os erros daqueles que falharam. O profeta clama ao Senhor, que mesmo com todas as fragilidades humanas reconhece  “tu és nosso pai, nós somos barro; tu, nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos”. O Senhor é pai e usa de misericórdia (cf. Is 63,16b-17.19b; 64,2b-7).

No evangelho, de Marcos, apresenta-nos a advertência de  Jesus, para estarmos sempre atentos, vigilantes pois não podemos imaginar quando virá o Senhor. A vigilância não nos permite vacilar. Ela é uma atitude do sábio (cf. Mc 13,33-37).

Paulo, na carta aos Coríntios, agradece a Deus pela ação bondosa sobre a  comunidade, afirma que não lhes falta nada, todos foram enriquecidos com a palavra e todo o conhecimento. Paulo ainda implora para que todos possam ser perseverantes até o fim (cf. 1Cor 1,3-9).

Que cada vela acendida aos longos destes quatro domingos ilumine o nosso caminho  de preparação ao Natal.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco