Banner
Contador de Visitas
416465


Mensagem da semana Agosto 2017

RECONHECER JESUS PARA FAZER NASCER A IGREJA

A liturgia do 21º Domingo do Tempo Comum, Ano A, nos propõe, dois temas, onde se estrutura toda a existência cristã: Cristo e a Igreja.

O Evangelho convida os discípulos a aderirem a Jesus reconhecendo-o como “o Messias, Filho de Deus Vivo”(cf. Mt 16,16). Dessa adesão, nasce a Igreja, a comunidade dos discípulos e discipulas de Jesus, convocada e organizada ao redor de Pedro. A missão da Igreja é dar testemunho da proposta salvadora de Jesus. Para a Igreja e Pedro é confiado o poder das chaves, isto é, de interpretar as palavras de Jesus, adaptar os ensinamentos de Jesus aos desafios do mundo e acolher na comunidade todos aqueles que aderem à proposta de salvação que Jesus oferece (cf. Mt 16,13-20).

A primeira leitura refere-se ao comportamento daquele que tem o poder “das chaves”. Aqueles que carregam “as chaves” não podem usar a sua autoridade para buscar interesses pessoais e para impedir aos seus irmãos o acesso aos bens eternos, mas deve exercer o seu serviço como um pai que procura o bem dos seus filhos, com solicitude, com amor e com justiça (cf. Is 22,19-23).

Na segunda leitura o apóstolo faz um hino de louvor ao projeto de Deus, um convite a contemplar a riqueza, a sabedoria e a ciência de Deus que, de forma misteriosa e às vezes desconcertante, realiza os seus projetos de salvação do homem. Ao homem resta entregar-se confiante nas mãos de Deus e deixar que o seu espanto, reconhecimento e adoração se transformem num hino de amor e de louvor ao Deus salvador e libertado (cf. Rm 11,33-36).

Neste domingo destacamos a confissão de Pedro. Ele é o exemplo de fidelidade, de serviço, modelo para todo discipulado de Jesus.

Pe. Mário Pizetta, ssp

Pároco


UM GRANDE SINAL FOI VISTO NO CÉU

 

Neste domingo celebramos a festa da Assunção de Nossa Senhora. O prefácio da missa desse dia afirma: “A Virgem Maria Mãe de Deus, foi elevada a glória do céu. Aurora e esplendor da Igreja Triunfante, ela é consolo e esperança para o vosso povo ainda em caminho”.

A primeira leitura nos leva a identificar a “mulher” como sendo Nossa Senhora por isso ela se torna este grande sinal (cf. Ap. 11,19a,12,1.3-6a,10ab).

O evangelho, apresenta o relato da visitação de Maria a sua prima Isabel, nele escutamos as palavras: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”. Maria é sinal de consolo e esperança (cf. Lc 1,39-56).

Na segunda leitura vem a afirmação: “Cristo ressuscitou dos mortos como

primicias dos que morreram.” Cristo vence a morte e abre o caminho para todos nós, seus filhos e filhas (cf.1 Cor. 15,20-27a).

A Igreja é o grande sinal da presença de Deus no mundo. Ela esta sempre pronta a defender a vida. Toda vez que ela se coloca em favor da vida ela é luz para a humanidade

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco