18 de abril São Galdino, bispo

18 de abril São Galdino, bispo

Foi Arcebispo de Milão numa época muito delicada para a Igreja e para a história da Lombardia. Um homem de grandes virtudes e de empenho religioso, social e político. Nasceu em Milão, Itália, na Porta Oriental, em 1100. Abraçou a carreira eclesiástica tornando-se Chanceler e Arcediago da Diocese de Milão. Precisamente como arcediago, com certos poderes sobre os párocos de sua Diocese, esteve ao lado do Arcebispo Oberto de Pirovano em sua oposição decisiva ao Antipapa Vitor IV e ao Imperador Frederico Barba-Roxa que o defendia.

Como também o município de Milão ousasse opor-se ao poder imperial, em 1162 a cidade foi arrasada. No entanto Oberto tinha-se refugiado ao lado do Papa legítimo, Alexandre III, Orlando Bandinelli. Quando o Arcebispo Oberto morreu em Benevento, o Papa nomeou logo seu sucessor, Galdino, que ele mesmo sagrou Bispo a 18 de abril de 1166 e que o elevou à púrpura cardinalícia. Tornou-se o primeiro Cardeal da Igreja Milanesa. Ele apoiou os empreendimentos da liga lombarda dos municípios (a Liga de Pontida) e se preocupou com a vida religiosa da Diocese.

Testemunhou concretamente a caridade de Cristo interessando-se pelos pobres, particularmente por aqueles que se envergonhavam de estender as mãos para pedir esmola, e por aqueles que tinham sido encarcerados como devedores e que não podiam pagar: para estes instituiu aquilo que mais tarde foi chamado de “pão de São Galdino.” Outra grande preocupação dele era a ortodoxia dos cristãos confiados às suas solicitudes pastorais. Morreu quando estava pregando no púlpito em 1176.

Conta de fato o seu primeiro biógrafo, o Monge Hilarião: “Ardendo de zelo contra os hereges, foi como de costume, à Igreja de Santa Tecla para ali celebrar os ofícios divinos. Antes que se lesse o Evangelho ao povo, subiu ao púlpito e fez um belíssimo discurso contra os cátaros e seus sequazes. Quando terminou de falar na presença de muito clero e de muito povo entregou o espírito ao Senhor”.

Deus, nosso Pai, através da Igreja chegou até nós a vossa mensagem de salvação. É esta a razão de nossa alegria: fundados na fé recebida dos apóstolos e animados pelo testemunho de vossos santos, queremos tornar vivos em nós as suas palavras e os seus ensinamentos. Amém.

Fechar Menu