Dos Bispos: Um Novo Concílio?

Dos Bispos: Um Novo Concílio?

No dia 10 de outubro de 2021, no vaticano, o  Papa Francisco lançou uma convocação a todos os católicos do mundo inteiro , como alguns afirmam:  “ maior consulta da história da Igreja Católica”. Com ela, o Papa busca, torná-la mais  adaptada aos novos tempos. Trata-se de um amplo trabalho, a partir das bases, que são as comunidades, depois paróquias, dioceses e continentes. Tudo será concluído em 2023. Esta caminhada quer levar os católicos “Para uma Igreja Sinodal: Comunhão, Participação e Missão”. O papa quer que todos os batizados tenham voz, normalmente às margens da estrutura formal da Igreja. O objetivo é ouvir a grande maioria dos 1,3 bilhão de católicos. O Papa olha para o futuro  da Igreja.

O Sínodo é uma oportunidade para conhecer, dialogar, refletir,  rever formas de como tratar certas questões trazidas pelo mundo e vividas em nossa sociedade. Preocupação forte do papa é também buscar ações para conter a perda de fiéis, acentuada por anos de escândalos de abuso sexuais, corrupção e uma rígida estrutura hierárquica. Não se trata de mudar a doutrina, mas buscar caminhos para não ser excludente e sim participativo com as pessoas que se esforçam para viver a fé.

Durante  a homilia da missa, o Papa defendeu,  na Basílica de São Pedro que os católicos mantenham a mente aberta sobre o processo. “Não podemos ter medo do desconhecido, refugiando-se  nas desculpas habituais, como “é inútil” ou “sempre fizemos assim”?

O processo vai consistir em três etapas: Na primeira, que começou no dia 10 de outubro, vai até abril de 2022, católicos em paróquias e dioceses pelo mundo irão discutir assuntos relacionados à participação das mulheres, grupos minoritários, pastorais e pessoas às margens da estrutura formal da instituição. Outro tópico, afirmou o Pontífice, será debater até que ponto a Igreja escuta a juventude. O segundo momento, será a “fase continental”, em que os bispos se reunirão para discutir e formalizar os pontos levantados, entre setembro de 2022 e março de 2023. O terceiro e último  passo será “fase universal”, que acontecerá  em outubro de 2023, no tradicional Sínodo dos Bispos, na reunião periódica na Santa Sé. Depois  um documento será preparado e encaminhado ao Papa que escreverá uma Exortação Apostólica com suas visões, sugestões e possíveis instruções sobre vários aspectos.

O tempo do Sínodo “é um tempo de escutar uns aos outros”. “Não deve se tornar um exercício intelectual, “uma assembleia da Igreja, um grupo de estudo ou um congresso político”, mas “um evento cheio de graça, um processo de conversão iluminado  pelo Espírito Santo”.(Cf. Texto jornal Globo, em 13/10/2021, adaptado por Pe. Mário Pizetta)

Fechar Menu