4 de março – Memória Facultativa de São Casimiro, príncipe

4 de março – Memória Facultativa de São Casimiro, príncipe

A rainha Isabel de Hasburgo, mãe de Casimiro, o terceiro filho de Casimiro IV, rei da Polônia e grão-duque da Lituânia, teve treze filhos. Doze foram reis e um só, Casimiro, preferiu a coroa dos santos após ter renunciado à da Hungria. Seu pai, irritado, manteve-o durante três meses na prisão.

Casimiro nasceu em Cracóvia, Polônia, em 1458. Pertencia à dinastia dos Jagellone, de origem lituana. Quando os húngaros se rebelaram contra seu rei, Matias Corvino, e ofereceram-lhe a coroa, o jovem, sabendo que o Papa era contra, imediatamente renunciou. Casimiro IV deu ao terceiro filho o encargo de regente da Polônia e o príncipe, já tuberculoso, não se deixou dominar pela ambição do poder.

Foi um servidor diligente do seu Estado, mas não obedeceu ao pai quando este queria que ele se casasse com a filha de Frederico III da Alemanha, para ampliar ainda mais os estados do reino. Tinha o ideal ascético de pureza. Era muito admirado e cortejado por seus dotes físicos, mas o seu coração estava consagrado a Nossa Senhora. A ela dedicava pensamentos como estes: “Alma minha, não passes um dia sem prestar tributos à Maria. Soleniza devotamente suas festas, celebra todas as suas virtudes. Admira sua alteza e grandeza acima de todas as criaturas”.

Morreu em Grodno (na Lituânia) no dia 4 de março de 1484 e foi sepultado na Catedral de Vilna. Apenas morto, já todo o povo polonês o venerava como santo. Em 1521 o Papa Leão X o incluiu no elenco dos santos, declarando-o padroeiro da Polônia e da Lituânia. Em 1758, na Venezuela, foi fundada a cidade de São Casimiro.

Ó Deus todo-poderoso, a quem servir é reinar, dai-nos, pela intercessão de São Casimiro, a graça de vos servir com retidão e santidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu