25 de janeiro – Festa da Conversão de São Paulo, apóstolo

25 de janeiro – Festa da Conversão de São Paulo, apóstolo

Conhecemos São Paulo através de suas várias cartas e dos Atos dos Apóstolos. Saulo era da cidade de Tarso, na Cilícia, atual Turquia. Era filho de judeus. Seu pai tinha o título de “Cidadão Romano”, que passou para os filhos. Assim, Saulo nasceu cidadão romano e tinha um sobrenome romano, PAULO. Estudou Sagrada Escritura com o mestre Gamaliel em Jerusalém. Ele era fiel às Tradições Judaicas e considerava os discípulos de Jesus traidores dessa religião. Por isso, perseguia os cristãos com ódio mortal (At 8,1-3). Perseguia-os até no país vizinho, na Síria, capital Damasco (At 9,1-2). Sua conversão ocorreu no caminho de Damasco, ao lhe aparecer o Cristo ressuscitado para lhe confiar uma missão especial.

“Durante a viagem, quando já estava perto de Damasco, Saulo se viu repentinamente cercado por uma luz que vinha do céu. Caiu por terra, e ouviu uma voz que lhe dizia: ‘Saulo, Saulo, por que você me persegue?’ Saulo perguntou: ‘Quem és tu, Senhor?’ A voz respondeu: ‘Eu sou Jesus, a quem você está perseguindo’”.

Merece destaque especial na vocação de São Paulo a sua conversão, pois o acontecimento de Damasco foi fundamental para ele. A leitura de At 9,1-22 nos indica a importância do que sucedeu naquele providencial meio-dia no caminho de Damasco.

A conversão de São Paulo é muito mais que uma mudança de nome: Saulo se converte em Paulo. A experiência vivida por Paulo no caminho de Damasco é, sobretudo, um dom, gratuidade, uma iniciativa de Cristo que o chamou para uma vida nova (At 9,15). Depois deste encontro com Cristo, a existência de São Paulo experimentou uma ruptura total. Agora, se transformou em um homem novo, porque conheceu a Cristo. Deste encontro íntimo e pessoal com o Mestre, conclui que só Cristo pode dar sentido à existência humana e a sua em particular: “Para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”, são palavras do próprio Paulo aos Filipenses (Fl 1,21).

No caminho de Damasco começa a história das relações íntimas de Paulo com Cristo morto e ressuscitado. A iluminação de Damasco dá sentido a toda sua vida, guiará cada um de seus passos no apostolado: existirá, viverá e respirará por Cristo, que se revelou a ele, o último dos apóstolos, verdadeiro aborto por haver sido perseguidor e blasfemo (At 9,1-2).

Este é o verdadeiro significado da conversão de Paulo: se enamora de Cristo porque toma consciência do amor que Cristo tem por ele. De “apaixonado perseguidor” se converteu em “apaixonado mensageiro” do amor. Cristo passa a ser realmente o fundamento de sua existência, a única razão pela qual merece a pena viver (Rm 8,35-39).

Ó Deus, que instruístes o mundo inteiro pela pregação do apóstolo São Paulo, dai-nos, ao celebrar hoje sua conversão, caminhar para vós seguindo seus exemplos, e ser no mundo testemunhas do Evangelho. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu