24 de dezembro – Santas Ermina e Adélia, religiosas

24 de dezembro – Santas Ermina e Adélia, religiosas

Ermina (de onde vem o nome Irma) e Adélia têm muitas coisas em comum: ambas estão ligadas ao florescimento do cristianismo no coração da Alemanha durante a missão de dois grandes apóstolos, Willibrordo e Bonifácio; ambas foram fundadoras de mosteiros, dos quais foram também abadessas; ambas são festejadas no dia 24 de dezembro.

Parece que santa Ermina era noiva do conde Ermano. Este morreu antes das núpcias e Ermina quis consagrar-se a Deus, entrando num mosteiro de observância beneditina. Mais tarde ela mesma fundou em Oeren, próximo a Treves, um grande mosteiro do qual foi eleita abadessa. Conta-se que naquele período uma grave peste atingiu Treves e que o flagelo desapareceu apenas com a chegada de são Willibrordo à cidade. Admirada e comovida, Ermina por gratidão fez presente ao santo missionário da parte que lhe coube em herança da vila de Echternach com a igreja anexa e o mosteiro. A morte de santa Ermina aconteceu provavelmente em 708, mais ou menos, uns vinte anos antes da morte de santa Adélia de Pfalzel, ligada ao nome de outro grande apóstolo da Alemanha, o inglês são Bonifácio. Durante uma de suas frequentes viagens da Frísia à Renância o incansável missionário foi hóspede do mosteiro de Pfalzel, em Treves, do qual era abadessa Adélia.

A tradição diz que esta santa, uma vez viúva, entrou no mosteiro por ela mesma fundado, levando consigo o netinho Gregório. Durante a permanência no mosteiro, Bonifácio falou tão bem sobre as verdades evangélicas, que o menino, admirado, quis segui-lo. Tornou-se um dos mais zelosos discípulos do grande missionário.

Glória ao Pai, ao Filho, e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Fechar Menu