10 de outubro – São Francisco de Borja, presbítero

10 de outubro – São Francisco de Borja, presbítero

Sobrinho segundo do papa Alexandre VI e do rei católico Fernando II de Aragão e de Castela, são Francisco Borja nasceu em Gandia, Valência, Espanha, a 28 de outubro de 1510. Entrou ainda muito jovem para a vida da corte espanhola, como pajem da irmã de Carlos V, Catarina. Aos 20 anos, o imperador lhe concedeu o título de marquês. Casado aos 19 anos, teve oito filhos. Aos 29 anos, por ocasião da morte da imperatriz, de onde tirou o sentido da caducidade das coisas terrenas, decidiu “nunca mais servir a um senhor que viesse a morrer” e dedicou-se a uma vida mais perfeita. Mas no mesmo ano, eleito vice-rei de Catalunha (1539-43), mostrou-se à altura do cargo, sem todavia descuidar-se da intensa vida espiritual à qual se havia secretamente votado.

Em Barcelona encontrou são Pedro de Alcântara e o bem-aventurado Pedro Favre da Companhia de Jesus. Este último encontro foi determinante para a sua vida futura. Em 1546, após a morte da esposa Eleonora, cumpriu a piedosa prática dos exercícios espirituais de santo Inácio de Loyola e no dia 2 de junho do mesmo ano emitiu os votos religiosos de castidade, de obediência e o de entrar na Companhia de Jesus, onde efetivamente ingressou em 1548 e oficialmente em 1550, após haver encontrado santo Inácio em Roma e haver renunciado ao ducado de Gândia. A 26 de maio de 1551 celebrava a primeira missa.

Logo depois foi proposto por Carlos V ao cardinalato, ao qual Francisco renunciou. E para que a sua renúncia fosse sem apelação, emitiu os votos simples dos professos da Companhia de Jesus, um dos quais proíbe a aceitação de qualquer dignidade eclesiástica. Não pôde, porém, fugir às incumbências sempre mais importantes que lhe foram confiadas dentro da Companhia de Jesus, até a eleição, em 1566, para geral, cargo que ocupou até sua morte, em Roma a 30 de setembro de 1572.

Organizador infatigável (a ele se deve a fundação do primeiro Colégio jesuíta na Europa, na sua Gândia, e de outros 20 na Espanha), encontrou tempo para redigir tratados espirituais. Nutriu grande devoção à eucaristia e à Virgem. Dois dias antes de morrer, já gravemente enfermo, quis visitar o santuário mariano de Loreto. Beatificado em 1624, teve a honra dos altares em 1671. Em maio de 1931, o seu corpo, venerado na igreja da casa de Madri, foi carbonizado no incêndio provocado pelos revolucionários.

Deus, nosso Pai, fazei que vejamos as coisas com olhar de fé, renovado pelo vosso amor, cheio de esperança e de confiança em vós, em nós e nas pessoas que nos rodeiam. Amém.

São Daniel Comboni, fundador

Daniel nasceu na Itália em 1831 e faleceu no Sudão em 1881. Bispo, chamado apóstolo da África, dedicou-se sem reservas à evangelização dos pobres da África Central. Foi fundador dos Missionários e Missionárias Combonianos.

Deus, Pai de todos os homens, que pelo zelo apostólico do bispo são Daniel difundistes a vossa igreja entre os povos da África, concedei-lhe, por sua intercessão, a graça de crescer na fé e na santidade e de se enriquecer cada vez mais com novos filhos, para a glória do vosso nome. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu