25 de agosto – Memória Facultativa de São José de Calazans, presbítero

25 de agosto – Memória Facultativa de São José de Calazans, presbítero

Nasceu em Peralta de la Sal, em Aragão, Espanha, no ano de 1557. Ordenado sacerdote aos vinte e oito anos, manifestou logo uma grande inclinação para a vida eremítica. Os seus superiores, para curá-lo, lançaram-no no meio do povo, nomeando-o Vigário-geral da Diocese. E como a cura não parecesse eficaz, mandaram-no a Roma na qualidade de teólogo em companhia do cardeal Marco Antônio Colonna. Dedicou-se com espírito de apóstolo à instrução dos meninos do Trastevere, na Paróquia de Santa Dorotéia, onde era Vigário cooperador.

Feita com as poucas economias de que dispunha a primeira escola gratuita aberta aos filhos dos pobres, viu-se encorajado a fazer mais pela afluência de tantos voluntários, que se ofereceram para lecionar gratuitamente aos meninos. Fundou assim a Congregação dos Clérigos Regulares das Pias Escolas, os Escolápios, vinculados não só pelos votos de pobreza, castidade e obediência, mas também por um quarto voto, que os compromete com a instrução dos jovens.

Esta esperada e benéfica instituição teve imediatamente a notoriedade que bem merecia: a Congregação se espalhou em todos os países europeus, trazendo, no entanto, mais dores que alegrias ao Santo fundador. As provas, às quais Deus submete os seus Santos, para separar a boa semente da do joio, não demoraram a afligir José: acusado de incapacidade pelos seus próprios filhos, após a imposição de um visitador desonesto o Santo foi destituído do seu cargo e a Congregação desceu ao nível de uma simples confraria, quer dizer, praticamente ficou suprimida. Com admirável paciência e serenidade, José Calazans arregaçou as mangas e com a obstinação dos pioneiros reergueu o edifício que havia desabado. A Congregação ressurgiu das cinzas, mas com os mesmos programas sociais: de cultivar as jovens inteligências dos meninos de periferia. José morreu na bonita idade de noventa anos, a 25 de agosto de 1648 e foi canonizado em 1757.

Ó Deus, que ornastes de bondade e paciência o presbítero São José de Calazans, inspirando-lhe consagrar toda a sua vida à instrução e formação da juventude, concedei-nos, ao venerá-lo como mestre da sabedoria cristã, imitá-lo no serviço da verdade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu