A partilha é um sinal de amor.

Jesus neste domingo convida os discípulos a partilhar: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Deus nos quer  a sua mesa que ele mesmo preparou. O acesso a esta mesa é gratuito. Nesta mesa todos serão saciados, ampliarão a felicidade e serão conduzidos à eternidade. Vejamos as leituras.

Na primeira leitura, o Senhor convida as pessoas que estão na escravidão, no exílio, com sede e fome. Buscar a nova Jerusalém,

da justiça, do amor e da paz. Deus oferecerá vida em abundância e felicidade sem limites (cf. Is 55,1-3).

O evangelho  encontramos Jesus  compadecendo-se  diante de uma multidão faminta. Os discípulos querem despedir as multidões, mas jesus, como um novo Moisés,  diz para os discípulos darem de comer a multidão. Para Jesus  não basta libertar, mas também dar-lhe de comer. Quando partilhamos evitamos cair no egoísmo, afastamos de nós o espirito da competição destruidora,  desaparecem as diferenças, eliminam-se as injustiças,  viveremos na liberdade  seremos mais felizes. Vamos recordar que no mundo milhares de crianças morrem por falta de alimento, que muitas vezes desperdiçamos. (cf. Mt 14,13-21).

Na segunda leitura, Paulo nos faz uma forte pergunta: o que vai nos separar de Cristo? Ele mesmo nos responderá  que nada nos deverá separar do amor de Deus. Por maiores que sejam os problemas, dificuldades, desafios. Cristo é o modelo de superação de todas as adversidades. Quando vivemos na partilha resolvemos os nossos problemas de forma mais simples (Rm 8,35.37-39).

1. Uma lição que levamos da celebração é que nada do que acontecer com a gente, até mesmo a morte,  dificuldade nenhuma deverá nos distanciar de Cristo.

2. Hoje aprendemos uma grande lição deixada por Jesus: a COMPAIXÃO, é  atitude que nos faz descruzar os braços, abrir o coração e afastar de nós todo o egoísmo e individualismo, males de nosso tempo. Ela nos leva a comprometimento  pelas causas do irmão, como fizeram esses 150 bispos brasileiros que assinaram a carta de questionamento sobre a realidade brasileira no momento. Quando temos Deus no coração, a forma de olhar o mundo muda.

Neste mês de agosto somos chamados a rezar pela vocações. Em cada domingo rezaremos por um chamado especial. Neste domingo, rezamos pelos sacerdotes. No Brasil hoje, somos mais de 13 mil sacerdotes. Neste dia vamos pedir a Deus que nos envie novas vocações, também  lembrar daquele padre que te batizou, entregou a 1ª eucaristia, nos atendeu em confissão, abençoou o seu matrimônio. Dos padres que passaram em sua paróquia. O sacerdote é como um discípulo que Jesus chamou. Infelizmente, muitos chegam a endeusar o padre, precisamos olhar o sacerdote como um ser humano, um servidor  do Senhor. Cada um tem sua história vocacional.

Pe. Mário Pizetta, ssp

Pároco

Fechar Menu