Eu Vos Envio: Recebeu o Espirito Santo

Eu Vos Envio: Recebeu o Espirito Santo

Celebramos hoje a conclusão do período Pascal com a festividade de  Pentecostes, uma das festas mais importantes da Igreja e é a plenitude da manifestação do amor de Deus manifestada em sua misericórida.

A primeira leitura, fala que a vinda do Espirito aconteceu 50 dias depois da Ressureição. Pentecostes era uma festa Judaica onde se apresentavam os primeiros frutos da terra, o primeiro feixe da colheita da cevada. Uma festa revestida de muita alegria,  pois se reconhecia a abundancia da boa colheita.

Pentecostes para os cristãos é também uma festa de colheita onde celebramos os frutos do amor de Deus. Com eles o coração humano,  abrindo-se para o amor e a solidariedade. Esta transformação, já era percebida na comunidade cristã como ação do Espirito Santo. Barrulho, Ventania, Fogo eram sinais típicos do Antigo Testamento. Basta lembrar  do encontro de Moisés no Sinai com o Senhor por ocasião do recebimento dos mandamentos. Falar outras línguas, para dizer que  a palavra de Deus é entendida em todas formas de comunicação do ser humano (cf. At 2,1-11).

No evangelho, João nos relata o verdadeiro sentido da presença do Espirito. João dá um novo sentido ao Pentecostes. Vamos observar como João narra  o texto: os discípulos  estão reunidos com as portas fechadas, com medo do judeus. Jesus aparece e deseja por duas vezes a paz a todos. Há uma alegria e Jesus lança o grande desafio: “assim como o Pai me enviou, eu vos envio”, depois sopra sobre eles. É a presença do Espirito que dará nova vida, que vai encorajar estes homens, vai romper as portas do medo e partir para a missão. Recordemos as palavras ouvidas nos últimos domingos: “Não se perturbe o vosso coração”. “Não vos deixareis órfãos”, “estarei convosco”. Jesus envia os discípulos para levar com sua mensagem a paz, o perdão , a misericórdia de Deus. É um envio para gerar, denunciar a tudo o que é contra a vida. É  a presença do Espirito de Deus que nos dá está coragem.  É a certeza de que não estamos sozinhos (cf. Jo 20,19-23).

Na segunda leitura, Paulo nos lembra que quando reconhecemos Jesus, confirmamos a presença do Espirito Santo. O Espirito nos enriquece com seus dons. Cada um de nós é agraciado com um dom particular, este nos é dado para que ele enriqueça o nosso viver. Todos os dons, os dons devem ser colocados  para o bem comum. Vejamos algumas aplicações

a. Atualizar hoje o Pentecostes é  reconhecer a força de Deus que se manifesta no Espirito. É missão da Igreja  anunciar  a presença de Jesus nos corações humanos, é levar a Palavra como água viva para todos. O Espirito Santo vem em socorro dos apóstolos para que superem o medo, a insegurança e o comodismo. Creio que hoje cada um de nós é convidado a  perder o medo, escutar os clamores que estão presentes na vida do povo, compreender estes gritos, trabalharmos para instaurar o Reino de Deus na história. Não  estamos sós, o Espírito está conosco.

b. Hoje, todos nós batizados, somos enviados por Jesus ao mundo  para testemunharmos o seu amor, a misericórdia. Que as palavras paz, fraternidade, solidariedade  não sejam pérolas jogadas ao lixo, mas que toquem o nosso coração.

c. Peçamos ao Senhor os sete dons: sabedoria, entendimento, conselho, ciência, fortaleza, temor de Deus, para que nosso viver.

Por último, gostaria de manifestar a gratidão ao Pe. Antônio Lucio, que nesta semana nos deixou, assumindo uma nova missão: ser formador dos nossos noviços paulinos. Obrigado pela sua dedicação, e alegria manifestada entre nós.

Pe. Mário Pizetta, ssp

Pároco

Fechar Menu