17 de abril Santos Roberto de Turlande, Roberto de Molesme e Estêvão Harding, abades

17 de abril Santos Roberto de Turlande, Roberto de Molesme e Estêvão Harding, abades

Estes três abades foram protagonistas de uma mesma história de renovação religiosa que teve como centro a França do século XI e que confirma a operação do Espírito Santo na Igreja. Roberto de Turlande nasceu na Alvérnia de uma família senhoril pelo ano de 1001. Ainda muito jovem foi confiado aos Cônegos de São Juliano de Brioude e tornou-se Padre e Cônego. Embora já houvesse construído às próprias custas um hospital para os pobres e peregrinos ele continuava a aspirar a um testemunho de vida mais explícito. Por isso se dispôs a entrar em Cluny, então em pleno vigor, mas os Confrades e os protegidos opuseram-se.

Decidiu então fazer uma peregrinação até Roma a fim de pedir luzes ao Senhor. Foi também a Montecassino e teve confirmação de sua vocação monástica. Voltando a Brioude, juntamente com dois leigos, retirou-se em 1043, para um lugar solitário que depois receberia o nome de La Chaise-Dieu (Casa de Deus). Pobreza e inserção na Igreja local deveriam ser as características do grupo de Monges e de Mosteiros que brotaram de São Roberto. Este morreu entre a veneração geral a 17 de abril de 1067 e foi canonizado em 1070 pelo Papa Alexandre II.

São Roberto de Molesme e Santo Estêvão Harding viram sua fama eclipsada por São Bernardo, mas não se pode esquecer que foram eles os iniciadores de uma das Ordens Religiosas mais vivas, na Igreja, a dos Cistercienses. Roberto de Molesme nasceu entre 1028-29, foi como um grão de trigo que tem de morrer para produzir fruto e sua morte veio pelas mãos de seus próprios Confrades. Fundada Molesme, viu-se cercado de numerosos Irmãos, que não alimentavam a sua mesma aspiração de renúncia às riquezas e ao prestígio. Tentou então dar vida a uma nova fundação: isso ele fez em Citeaux com a colaboração de Santo Estêvão Harding, nascido na Inglaterra meridional em 1060, mas os Confrades invejosos fizeram-no voltar a Molesme sem, todavia consentir que ele realizasse as reformas necessárias.

Talvez tenha sido o seu sacrifício (semelhante ao de Abraão), que permitiu a Estêvão Harding primeiro e, sobretudo a São Bernardo, depois encaminhar e consolidar a experiência reformadora do Convento de Cister, com a sua vida pobre e austera, numa rigorosa fidelidade a Regra Beneditina, da qual se retornava também o convite a manter-se com o trabalho das próprias mãos.

Senhor, dai-nos a graça da vossa presença em nossa vida. O nosso ofício seja servir e semear a esperança nos corações aflitos e desesperançados. Toda lágrima seja enxugada, toda aflição e gemido sejam ouvidos, toda promessa cumprida. Todo o gênero humano vos renda graças por vossas maravilhas. Amém.

Fechar Menu