Um Domingo de Ramos sem o povo
Created with GIMP

Um Domingo de Ramos sem o povo

A semana Santa estava sendo preparada com muito carinho, equipes tinham sido montadas. Licenças, junto às autoridades, haviam sido tiradas. Tudo era uma expectativa, mas a 2ª quinzena de março  preanunciava uma dura experiência. Inicialmente, China, depois,  Itália, e também chegou no Brasil.  Um vírus silencioso e invisível amedrontou o mundo,  o comercio fechou, e as igrejas também foram fechadas. Nas ruas, os carros quase não se viam. As pessoas menos ainda. Chegou o domingo de Ramos, pessoas ligavam: “foi cancelada a procissão”, tristemente tínhamos que dizer sim. Mas a missa não deixou de ser celebrada. No domingo de Ramos, padre Mário e padre  Lucio, com alguns poucos paroquianos, a missa aconteceu.  “escutava do pároco: “como padre, foi um domingo de ramos diferente, poucas vezes vivi este momento, sem presença do povo. Na sua homilia, Pe. Mário que presidiu a missa, transmitida pelo Face, lembrou que Jesus tinha palavras de conforto. No evangelho, Jesus no tribunal, chamou atenção sobre os gritos: “seja crucificado”, “seja crucificado”. Assim como hoje batemos panela, vamos para as praças manifestando insatisfação ou apreço.

Fechar Menu