30 de março – São João Clímaco, abade

30 de março – São João Clímaco, abade

João nasceu no ano 570 e faleceu no ano 649. O sobrenome deriva do célebre tratado de ascética escrito por João sobre o convite do Abade do Mosteiro de Raithu, A Escada do Paraíso (clímax=escada). O seu biógrafo, o Monge Daniel do Mosteiro de Raithu, a sudoeste do Monte Sinai, escreve que São João nasceu na Palestina e quando tinha a idade de 16 anos abandonou a cidade natal para ingressar num Mosteiro do Sinai, onde quatro anos depois teve a tonsura monacal. Passou 19 anos de vida monástica sob a direção de um santo velho que se chamava Martírio.

Quando morreu o Mestre, João se retirou numa cela solitária, bastante perto do mosteiro, onde descia aos sábados e domingos para participar dos ritos litúrgicos com os confrades. Vivia dos trabalhos de suas próprias mãos. Na cela havia uma grande cruz de madeira, uma mesa e um banco que servia de cama. Sua única riqueza era constituída das Sagradas Escrituras e das obras dos Padres da Igreja, especialmente São Gregório Magno traduzido em grego.

Sua admirável obra ascética A Escada do Paraíso (escada construída por ele de 30 degraus, tantos quantos são os capítulos do livro) foi escrita durante o tempo que passou na total solidão numa gruta escavada nas escarpas do Monte Sinai. Depois arrancaram-no de lá para ser Abade no Mosteiro do Monte Sinai.

O Santo anacoreta acolheu por obediência o convite para transcrever as experiências de suas longas meditações sobre a prática das virtudes cristãs. Nasceu assim um dos mais lidos tratados de teologia ascética que trata do caminho da perfeição na união com Deus por meio da caridade.

Senhor, fazei-nos mansos e humildes de coração e não nos arroguemos aquilo que cabe somente a vós: o poder, a glória e o domínio sobre tudo o que existe. Livrai-nos da hipocrisia, que torna nossos corações duros e perversos com os outros e cheios de concessões e de tolerância para conosco mesmos. Amém.

Fechar Menu