Em busca de águas que não provocam mais sede

A água é o elemento mais importante da natureza, mata a sede, purifica, refresca e gera vida,  algumas das suas principais finalidades. Neste 3º domingo da Quaresma vamos encontrar Jesus, que estando na Samaria, cansado, vai até o famoso poço de Siquém, o poço de Jacó. Enquanto está sentado chega uma mulher samaritana, os discípulos não estavam. Vejamos as leituras:

A primeira leitura apresenta uma situação muito delicada a Moisés: o povo reclama da falta de água, este interpela a Deus. Moisés vai ao monte e segue as orientações do Senhor, bate na rocha que sai agua.” Deus está conosco ou não?” (Ex 17,3-7).

O evangelho relata o encontro de Jesus com a Samaritana. Jesus estava sentado junto ao poço e, ao aproximar-se uma mulher lhe pede para lhe dar água para beber. Esta questiona jesus por ele ser judeu e pedir água a uma samaritana, mas Jesus lhes diz que se ela soubesse quem estava lhe pedindo água, certamente mudaria de atitude. A mulher, então  lhe diz: “dá-me desta água para que eu não tenha mais sede”. Jesus é a fonte da água viva. Aquele que o escuta, bebe de uma água segura, a água que jorra para a vida eterna. (cf. Jo 4,4-52). Nosso encontro com as pessoas deveria ser sempre um encontro transformador, como nos diz o Papa Francisco: criarmos a cultura do encontro.

Na segunda leitura Paulo nos dirá que somos justificados pela fé e somos mediados por Cristo, porque ele nos deu  a maior prova de amor ao morrer na cruz (cf. Rm 5,1-2.5-8).

A impressão que temos é que no planeta a água começa a faltar em muitas regiões, mas também é verdade que as pessoas não estão mais bebendo  de Jesus, estão em busca das águas do mundo, que tornam a dar sede.

Pe. Mário Pizetta,

Pároco

Fechar Menu