Iniciamos a quaresma: tempo de maior aproximação de Deus.

Na última quarta-feira iniciamos, com as cinzas, o tempo quaresmal. As leituras do dia convocavam as pessoas para:  a prática da solidariedade, o Jejum e a oração. Paulo, na sua carta lida na abertura da quaresma dizia: “Eis o tempo favorável para a reconciliação”(cf.2Cor 5,20-6,2).

O papa Francisco, em sua mensagem da abertura da Campanha da Fraternidade nos diz: “A Quaresma é um tempo propício para que,  atentos à Palavra de Deus, que nos chama a conversão, fortaleçamos em nós a compaixão, nos deixemos interpelar pela dor de quem sofre e não encontra quem o ajude. É um tempo em que a compaixão se concretiza na solidariedade, no cuidado”. Neste 1º domingo quaresmal as leituras nos levam a compreender melhor as tentações do Poder, Ter e Ser( poder, riqueza, e prestígio).

A primeira leitura,  mostrará o conflito existente na vida humana: a luta entre o manter-se fiel a Deus ou seguir as tentações do espirito do mal. Apresenta o pecado de Adão e Eva. Com eles herdamos a culpa de nossas faltas (Gn 2,7-9;3,1-7).

Na mensagem do evangelho, vamos encontrar as três tradicionais tentações. Superando-as, Jesus nos mostra que também nós podemos superar as adversidades da vida. O deserto, às vezes pode nos assustar, mas ele é lugar do encontro com Deus (cf. Mt 4,1-11).

Na segunda leitura, Paulo, nos mostrará a grande graça concedida ao homem, ser liberto do pecado afirmando:” A falta de um só acarretou a condenação de todos os homens, assim pela justiça dada por Cristo fomos libertos”(cf. Rm 5,12-19).

Façamos nossa caminhada de preparação rumo a Pascoa na humildade, oração. Ajudemo-nos os males do mundo.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco

Fechar Menu