3 de fevereiro – Memória Facultativa de São Brás, bispo e mártir

3 de fevereiro – Memória Facultativa de São Brás, bispo e mártir

São Brás nasceu em Sebaste, cidade da Armênia, no fim do século III. Era médico, mas abandonou tudo para se dedicar inteiramente ao serviço de Deus, numa vida solitária e penitente. Era o ano de 316. Sofreu o martírio durante a perseguição de Licínio em 323, pelas mãos de Agrícola, governador da Capadócia.

Lemos na sua Paixão que, enquanto estava indo ao martírio, uma senhora, cujo filho engasgado com um espinho de peixe estava morrendo, prostrou-se a seus pés e o santo concentrou-se em oração passando a mão na cabeça do menino. O menino sarou imediatamente. Desde então ele é o protetor da garganta contra qualquer mal (asfixia). É também o protetor dos cardadores, por ter tido suas carnes rasgadas com pentes de ferro. Suportou muitos suplícios até que, por fim, lhe cortaram a cabeça. É protetor dos animais selvagens, dos cabeleireiros, dos que trabalham com velas e parafinas (uma mulher levou-lhe um par de velas para iluminar sua cela escura quando era prisioneiro).

Oração da bênção da garganta: Pela intercessão de São Brás, Bispo e Mártir, livra-te Deus todo-poderoso dos males da garganta e de todas as doenças. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ouvi, ó Deus, as preces do vosso povo, confiado no patrocínio de São Brás; concedei-nos a paz neste mundo e a graça de chegar à vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu