A festa do encontro

A festa do encontro

Neste final de semana celebramos a festa da Apresentação do Senhor. Esta festa nos recorda que Jesus, após 40 dias do seu nascimento, Maria e José apresentam Jesus no templo para oferecer o primogénito ao Senhor e para a mãe ser purificada. Eram os pais que apresentavam os filhos a Deus, em sinal de oferta e de pertença. Neste ato Deus apresenta o seu Filho aos homens pela boca do velho Simeão e da profetisa Ana. Jesus é apresentado ao mundo como salvação para todos os povos, luz que iluminará as gentes, mas também como sinal de contradição, Aquele que revelará os pensamentos dos corações.

Malaquias, na 1ª leitura de hoje, preanunciava este encontro: «Eis que Eu vou enviar o meu mensageiro, a fim de que ele prepare o caminho à minha frente. E imediatamente entrará no seu santuário o Senhor, que vós procurais» (cf. Ml 3,1-4).

O evangelho relata-nos a cena da apresentação no templo: Simeão reconhece Jesus como o Messias esperado e proclamou-o salvador e luz do mundo. Compreendeu que, doravante, o destino de cada homem se decidia pela atitude assumida perante Ele; Jesus será ruína ou salvação (cf. Lc 2, 22-40).

A segunda leitura, o autor da carta aos Hebreus, nos mostra que Jesus não quer ser diferente, participa da nossa condição humana, para destruir a morte, devia ser semelhante a cada um de nós para se tornar um sumo sacerdote misericordioso (cf. Hb 2,14-18).

Fazemos hoje a procissão da luz.” A luz da fé não nos foi dada apenas para iluminar o nosso caminho. A luz da fé também não é para ser acesa apenas na igreja, ou em certos momentos, mas em todos os momentos e situações da nossa vida”.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco

Fechar Menu