11 de dezembro – Memória Facultativa de São Dâmaso I, papa

11 de dezembro – Memória Facultativa de São Dâmaso I, papa

Dâmaso, de origem espanhola, nascido pelo ano de 305, papa de 366 a 384, após ter sido diácono na Igreja de Roma com o papa Libério, participou ativamente nos esforços doutrinais para a volta à ortodoxia. A sua firme atitude, que sacudiu o entusiasmo e a aprovação de toda a cristandade quando, não se importando com as ameaças e protecionismos imperiais, depôs todos os bispos vinculados com o arianismo, trouxe à Igreja a unidade, estabelecendo o princípio que a comunhão com o bispo de Roma é o sinal de reconhecimento de um católico e de um bispo legítimo.

Eleito não sem oposições, papa Dâmaso demonstrou com as obras que a escolha tinha sido certa. Durante o seu pontificado houve uma explosão de ritos, de orações, de pregações, com novas instituições litúrgicas e catequéticas que alimentaram a vida cristã. Devem-se a este papa a iniciativa para os estudos de revisão do texto da Bíblia e a nova versão em latim (chamada Vulgata) feita por são Jerônimo, que são Dâmaso escolheu para seu secretário.

Em 380, por ocasião do sínodo de Roma, o papa Dâmaso expressou a sua gratidão aos chefes do império por terem deixado à Igreja a liberdade de administrar-se por conta própria. Com a liberdade conquistada os antigos lugares de oração, como as catacumbas, teriam ficado em ruína se este extraordinário homem de governo não tivesse sido ao mesmo tempo um poeta sensível às antigas memórias e aos gloriosos sinais deixados pelos mártires.

Morreu em Roma no ano de 384. Foi sepultado no túmulo que ele mesmo tinha preparado, humildemente longe das cinzas dos mártires, ao longo da via Ardeatina. Mais tarde os seus restos mortais foram reexumados e levados à igreja de são Lourenço em Damaso.

Concedei-nos, ó Deus, permanecer fiéis ao culto dos vossos mártires, promovido na vossa Igreja pelo papa São Dâmaso. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu