7 de dezembro – Memória de Santo Ambrósio, bispo e doutor da Igreja

7 de dezembro – Memória de Santo Ambrósio, bispo e doutor da Igreja

O jovem prefeito da Ligúria e da Emília, Ambrósio, nascido em Treves (Alemanha) pelo ano de 340, era ainda catecúmeno, quando por aclamação popular subiu à sede episcopal de Milão. Dedicou-se sobretudo ao estudo da Sagrada Escritura com tanto empenho que logo a dominou. Ambrósio, porém, não era um intelectual puro; era sobretudo um ótimo administrador da comunidade cristã a ele confiada. Tornou-se um verdadeiro pai espiritual dos jovens imperadores Graciano, Valentiniano II e do temível Teodósio I. Ambrósio é o símbolo da Igreja renascente, após os sofridos anos de vida escondida e das perseguições. Por meio dele a Igreja de Roma tratou sem sombra de servilismo com o poder público.

A atividade diária de Ambrósio era dirigida antes de tudo à orientação da própria comunidade, e ele cumpria as suas tarefas pastorais dirigindo ao seu povo mais de uma homilia por semana.

Os seus livros publicados e que chegaram até nós nada mais são que apressadas transcrições e reutilizações de discursos, pouco ou nada revisados. Os seus célebres Comentários exegéticos, antes de serem reunidos em volumes, tinham sido pregados à comunidade cristã de Milão. Aí encontramos o tom familiar do pastor que se dirige com amável simplicidade ao seu rebanho. Como bom pastor gosta de fazer seu povo cantar. Compôs um bom número de hinos, alguns dos quais ainda hoje são bastante familiares na liturgia ambrosiana. Foi ele que introduziu no Ocidente o canto alternado dos salmos. Ambrósio morreu em Milão a 4 de abril de 397.

Ó Deus, que fizestes o bispo Santo Ambrósio doutor da fé católica e exemplo de intrépido pastor, despertai na vossa igreja homens segundo o vosso coração, que a governem com força e sabedoria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fechar Menu