Mensagens da Semana – Agosto 2012

PENSAMENTOS DA SEMANA – Agosto 2012

Nossa gratidão a todos(as) os catequistas e leigos engajados na vida da comunidade, buscando com seu exemplo, alegria, serviço, animar a todos na vivência dos valores que Cristo Jesus nos deixou através da Igreja.

Viver a fé e o compromisso cristão é uma questão de opção de vida. Exige um abandono gradativo de tudo o que é relativo para uma entrega total a Deus. Lemos no Livro de Josué deste domingo:” A quem quereis servir?”(cf. Js 24,15).

A relação existente  entre o marido e a esposa, segundo o apóstolo Paulo, deveria ser como a relação de Cristo com a Igreja, uma relação de amor, atenção, respeito, um buscando o bem do outro. Todos nós formamos um só corpo (cf. Ef 5,21-32).

A palavra de Deus pode parecer dura, difícil de ser escutada, pode até escandalizar, mas essas palavras “são espíritos e vida” (cf. Jo 6,60-69).

A vocação ministerial é a manifestação do meu sacerdócio recebido no santo Batismo. Quanto mais eu vivo o meu batismo mais motivo eu encontro para viver a fé e o engajamento nos projetos em favor da vida. Quem vive o batismo tem mais sensibilidade em discernir o que é de Deus e o que vem de deuses que o mundo gera.

Aproximar-se da Palavra de Deus e da mesa da Eucaristia é ter a certeza de estar batendo na porta certa.

O carisma dado a um religioso ou religiosa  é um sinal vivo da presença do Espirito Santo na vida da sociedade.

Rezar pelas vocações  é pedir para que Deus suscite no meio de nós pessoas dispostos(as) a serem sinais vivos de Deus.

A festa da Assunção de Nossa Senhora é o reconhecimento da humanidade para uma mulher inteiramente disponível aos planos de Deus.

Pe. Mário


“A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espirito se alegra em Deus meu Salvador porque olhou a humildade de sua serva”. (Lc 1,46)

Deus realiza grandes obras nos corações humildes que acolhem os seus projetos. “Bendita és tu entre as mulheres e bendito  é o fruto do teu ventre….Bem-aventurada és tu porque acreditaste”.(cf. Lc 1,43.45). A vivência plena de uma vocação é a manifestação do amor de Deus.(Pe. Mário)

Maria é o grande sinal da presença de Deus que aparece no céu. Os sinais de Deus são percebidos por quem tem fé.

Pe. Mário


Ainda neste 19º domingo do tempo comum continuamos a escutar o que Jesus a nos dizer: “EU SOU O PÃO QUE DESCEU DO CÉU, QUEM DELE COMER NUNCA MORRERÁ”(cf. Jo 6,51s).

Na vida podemos encontrar muitas vezes dificuldades, no entanto, é necessário ouvir o que Deus fala ao profeta Elias: “Levanta-te e come”(cf. 1Rs 19,5.7).

O apóstolo Paulo alerta a comunidade de Éfeso e fala hoje a todos nós: procurem afastar entre vocês ” a amargura, irritação, cólera, gritaria, injurias, mas revestir-se da bondade, compreensão, perdão, como filhos amados de Deus”(cf. Ef 4,32; 5,1).

Jesus é o alimento que dá sustenção a vida do ser humano. Ele é a energia de que todos nós precisamos. Jesus é o remédio que não encontramos nas farmácias.(Pe. Mário)

Jesus nos alimenta por meio de sua Palavra e da Eucaristia. A participação da pessoa na Eucaristia direciona o cristão para o engajamento na comunidade e sua inserção social. A comunhão é um gesto de comprometimento com o projeto de Jesus, por isso que ele é o alimento da vida eterna.(Pe. Mário)

A vocação é uma expressão do amor de Deus. Ao dar a cada um uma forma diferente de assumir a vida o Senhor nos mostra que ele é presença nas realidades da vida humana. Na manifestação vocacional de cada ser humano está o rosto de Deus.

Pe. Mário


A família é um dos “tesouros mais importantes” e patromônio da humanidade”(Dap,432).

Assim diz Moisés a Aarão:
“Aproximem-se de Javé,pois ele ouviu as murmurações de vocês” (Ex 16,9)
Deus nunca abandona o ser humano.
Ele está sempre presente em nossa caminhada.
Para percebe-lo é necessário estar sempre sensíveis.

Na carta aos Éfésios o apóstolo Paulo nos faz algumas recomendações:
-” Não vivam como pagãos cuja mente é vázia (Rf 4,17).
– Perderam a sensibilidade e se deixaram levar pela libertinagem (Ef 16,19).
– Deixem de viver como homens velhos que se corrompem com as paixões engagandoras, revistam-se do homem novo” (Ef 16,22-23).

“Vocês estão me procurando não porque viram sinais,mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos”( Jo 6,26).

“Trabalhem não pelo alimento que se estraga, mas pelo alimento que dura para vida eterna” ( Jo 6,27)

“Eu sou o pão da vida, quem vem a mim não terámais fome, e quem acredita em mim não terá mais sede”(Jo 6,35)

O viver humano não é apenas a busca da satisfação de necessidades básicas ou criadas. O homem precisa ter também razões mais profundas de viver.
A busca da religião e sua vivência deve impulsionar o homem a tornar-se cada vez mais imagem do divino na fraternidade, solidariedade e na criação de um mundo mais justo.(Pe. Mário)

Pe. Mário Pizetta
Pároco

Fechar Menu