Publicado por Paróquia Santo Inácio de Loyola em Domingo, 31 de maio de 2020

 


_____________________________

Recados da Semana:

UMA NOVA ETAPA ESTÁ SENDO VENCIDA: CONCRETADA A 1ª PARTE DA  1ª LAJE

Primeira parte da Laje que compreende o Salão, escritórios, e secretaria.Depois de  intensos dias  trabalho, chegou o dia de darmos mais um passo em nossa reforma. No sábado, dia 30 de maio, véspera da festa do Espirito Santo, foi concretada a primeira parte da Laje que compreende o Salão, escritórios, e secretaria. Para realização desta etapa, foram utilizados 134 metros cúbicos de concreto, 14.600 Kg de aço, utilizados 900metros quadrados de formas de madeira. Um passo importante em nossa caminhada. Convidamos todos os paroquianos, amigos da paróquia  Santo Inácio de Loyola, a se unirem nesta luta. Apesar da pandemia, que será vencida, vamos todos colaborar:

Bradesco – Agencia: 0108-2 – Conta: 323730-3   Rua Domingos de Morais 716 – CNPJ: 63.089.825/0293-98

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco

_____________________________

Mensagem da semana

EU VOS ENVIO: RECEBEU O ESPIRITO SANTO

Celebramos hoje a conclusão do período Pascal com a festividade de  Pentecostes, uma das festas mais importantes da Igreja e é a plenitude da manifestação do amor de Deus manifestada em sua misericórida.

A primeira leitura, fala que a vinda do Espirito aconteceu 50 dias depois da Ressureição. Pentecostes era uma festa Judaica onde se apresentavam os primeiros frutos da terra, o primeiro feixe da colheita da cevada. Uma festa revestida de muita alegria,  pois se reconhecia a abundancia da boa colheita.

Pentecostes para os cristãos é também uma festa de colheita onde celebramos os frutos do amor de Deus. Com eles o coração humano,  abrindo-se para o amor e a solidariedade. Esta transformação, já era percebida na comunidade cristã como ação do Espirito Santo. Barrulho, Ventania, Fogo eram sinais típicos do Antigo Testamento. Basta lembrar  do encontro de Moisés no Sinai com o Senhor por ocasião do recebimento dos mandamentos. Falar outras línguas, para dizer que  a palavra de Deus é entendida em todas formas de comunicação do ser humano (cf. At 2,1-11).

No evangelho, João nos relata o verdadeiro sentido da presença do Espirito. João dá um novo sentido ao Pentecostes. Vamos observar como João narra  o texto: os discípulos  estão reunidos com as portas fechadas, com medo do judeus. Jesus aparece e deseja por duas vezes a paz a todos. Há uma alegria e Jesus lança o grande desafio: “assim como o Pai me enviou, eu vos envio”, depois sopra sobre eles. É a presença do Espirito que dará nova vida, que vai encorajar estes homens, vai romper as portas do medo e partir para a missão. Recordemos as palavras ouvidas nos últimos domingos: “Não se perturbe o vosso coração”. “Não vos deixareis órfãos”, “estarei convosco”. Jesus envia os discípulos para levar com sua mensagem a paz, o perdão , a misericórdia de Deus. É um envio para gerar, denunciar a tudo o que é contra a vida. É  a presença do Espirito de Deus que nos dá está coragem.  É a certeza de que não estamos sozinhos (cf. Jo 20,19-23).

Na segunda leitura, Paulo nos lembra que quando reconhecemos Jesus, confirmamos a presença do Espirito Santo. O Espirito nos enriquece com seus dons. Cada um de nós é agraciado com um dom particular, este nos é dado para que ele enriqueça o nosso viver. Todos os dons, os dons devem ser colocados  para o bem comum. Vejamos algumas aplicações

a. Atualizar hoje o Pentecostes é  reconhecer a força de Deus que se manifesta no Espirito. É missão da Igreja  anunciar  a presença de Jesus nos corações humanos, é levar a Palavra como água viva para todos. O Espirito Santo vem em socorro dos apóstolos para que superem o medo, a insegurança e o comodismo. Creio que hoje cada um de nós é convidado a  perder o medo, escutar os clamores que estão presentes na vida do povo, compreender estes gritos, trabalharmos para instaurar o Reino de Deus na história. Não  estamos sós, o Espírito está conosco.

b. Hoje, todos nós batizados, somos enviados por Jesus ao mundo  para testemunharmos o seu amor, a misericórdia. Que as palavras paz, fraternidade, solidariedade  não sejam pérolas jogadas ao lixo, mas que toquem o nosso coração.

c. Peçamos ao Senhor os sete dons: sabedoria, entendimento, conselho, ciência, fortaleza, temor de Deus, para que nosso viver.

Por último, gostaria de manifestar a gratidão ao Pe. Antônio Lucio, que nesta semana nos deixou, assumindo uma nova missão: ser formador dos nossos noviços paulinos. Obrigado pela sua dedicação, e alegria manifestada entre nós.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco

Leia esta e outras mensagens de semanas anteriores

_____________________________

Mensagem do Papa Francisco

“Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10, 2).

A vida faz-se história »

No dia da Ascensão do Senhor, a Igreja celebrou o 54º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Neste ano o Papa nos convida a refletir sobre  “A vida faz-se história”. Quer dizer a vida é uma história, onde nossos atos tornam-se  memória.  Refletir sobre a  comunicação é uma forma de  dar espaço a uma das necessidades mais emergentes da vida humana. Seguem alguns trechos da mensagem do  Papa:

FranciscusJorge Mario Bergoglio13.III.2013 / Fonte: www.vatican.va/content/francesco/it.html1. Tecer histórias: “O homem é um ente narrador. Desde pequenos, temos fome de histórias, como a temos de alimento. As narrativas marcam-nos, plasmam as nossas convicções e comportamentos, podem ajudar-nos a compreender e dizer quem somos”. ”Mergulhando dentro das histórias, podemos voltar a encontrar razões heroicas para enfrentar os desafios da vida. O homem é um ente narrador, porque em devir: descobre-se e enriquece-se com as tramas dos seus dias”

2. Nem todas as histórias são boas: Neste ponto o papa nos recorda: «Se comeres, tornar-te-ás como Deus» (cf. Gn 3, 4): esta tentação da serpente introduz, na trama da história, um nó difícil de desfazer. «Se possuíres…, tornar-te-ás…, conseguirás…»: Quantas histórias nos narcotizam, convencendo-nos de que, para ser felizes, precisamos continuamente de ter, possuir, consumir. Frequentemente, nos «teares» da comunicação, produzem-se histórias devastadoras e provocatórias, que corroem e rompem os fios frágeis da convivência.

Necessitamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas. Precisamos de paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras lacerações de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia a dia”.

3. A História das histórias: “A Sagrada Escritura é uma História de histórias. Quantas vicissitudes, povos, pessoas nos apresenta! Temos um Salmo onde a criatura se conta ao Criador: «Tu modelaste as entranhas do meu ser e teceste-me no seio de minha mãe. Dou-Te graças por me teres feito uma maravilha estupenda Não nascemos perfeitos, mas necessitamos de ser constantemente «tecidos» e «recamados». A vida foi-nos dada como convite a continuar a tecer a «maravilha estupenda» que somos”. A Bíblia é a grande história de amor entre Deus e a humanidade. No centro, está Jesus: a sua história leva à perfeição o amor de Deus pelo homem e, ao mesmo tempo, a história de amor do homem por Deus. Assim, o homem será chamado, de geração em geração, a contar e fixar na memória os episódios mais significativos desta História de histórias.

O título desta Mensagem é tirado do livro do Êxodo, narrativa bíblica fundamental que nos faz ver Deus a intervir na história do seu povo. Com efeito, quando os filhos de Israel, escravizados, clamam por Ele, Deus ouve e recorda-Se: «Deus recordou-Se da sua aliança com Abraão, Isaac e Jacob. Deus viu os filhos de Israel e reconheceu-os» (Ex 2, 24-25). Da memória de Deus brota a libertação da opressão, que se verifica através de sinais e prodígios. E aqui o Senhor dá a Moisés o sentido de todos estes sinais: «Para que possas contar e fixar na memória do teu filho e do filho do teu filho (…) os meus sinais que Eu realizei no meio deles. E vós conhecereis que Eu sou o Senhor» (Ex 10, 2). A experiência do Êxodo ensina-nos que o conhecimento de Deus se transmite sobretudo contando, de geração em geração, como Ele continua a tornar-Se presente. O Deus da vida comunica-Se, narrando a vida” Também os Evangelhos – não por acaso – são narrações”

4. Uma história que se renova:  “A história de Cristo não é um património do passado: é a nossa história, sempre atual. Mostra-nos que Deus tomou a peito o homem, a nossa carne, a nossa história, a ponto de Se fazer homem, carne e história. Cada história humana tem uma dignidade incancelável. Por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura, àquela altura vertiginosa e fascinante a que Jesus a elevou.

Vós «sois uma carta de Cristo – escrevia São Paulo aos Coríntios –, confiada ao nosso ministério, escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne que são os vossos corações» (2 Cor 3, 3). “Em cada grande história, entra em jogo a nossa história. Ao mesmo tempo que lemos a Escritura, as histórias dos Santos e outros textos que souberam ler a alma do homem e trazer à luz a sua beleza, o Espírito Santo fica livre para escrever no nosso coração, renovando em nós a memória daquilo que somos aos olhos de Deus. Quando fazemos memória do amor que nos criou e salvou, quando metemos amor nas nossas histórias diárias, quando tecemos de misericórdia as tramas dos nossos dias, nesse momento estamos a mudar de página. Já não ficamos atados a lamentos e tristezas, ligados a uma memória doente que nos aprisiona o coração, mas, abrindo-nos aos outros, abrimo-nos à própria visão do Narrador.

Com o olhar do Narrador – o único que tem o ponto de vista final –, aproximamo-nos depois dos protagonistas, dos nossos irmãos e irmãs, atores juntamente connosco da história de hoje. Sim, porque ninguém é mero figurante no palco do mundo; a história de cada um está aberta a possibilidades de mudança. Mesmo quando narramos o mal, podemos aprender a deixar o espaço à redenção; podemos reconhecer, no meio do mal, também o dinamismo do bem e dar-lhe espaço”.

“Ó Maria, mulher e mãe, Vós tecestes no seio a Palavra divina, Vós narrastes com a vossa vida as magníficas obras de Deus. Ouvi as nossas histórias, guardai-as no vosso coração e fazei vossas também as histórias que ninguém quer escutar. Ensinai-nos a reconhecer o fio bom que guia a história. Olhai o cúmulo de nós em que se emaranhou a nossa vida, paralisando a nossa memória. Pelas vossas mãos delicadas, todos os nós podem ser desatados. Mulher do Espírito, Mãe da confiança, inspirai-nos também a nós. Ajudai-nos a construir histórias de paz, histórias de futuro. E indicai-nos o caminho para as percorrermos juntos”(cf. Roma, em São João de Latrão, na Memória de São Francisco de Sales, 24 de janeiro de 2020, Franciscus)

_____________________________

“Eu estarei convosco até o fim dos tempos”(Mt 28,20)

No dia 24 de maio, às 9,30, via Facebook, foi realizada a missa da Ascensão de Jesus. Presidiu a celebração o padre Mário Pizetta e concelebrou o Pe. Lúcio. Foram  responsáveis pela transmissão o Fábio, Neusa, e o Junior.

As fotos foram tiradas pela Rami. Na reflexão, o celebrante  chamou atenção sobre a narrativa de Lucas sobre a Ascensão, quarenta dias depois da ressurreição. O número quarenta lembrava os quarenta dias que Noé viveu na arca no tempo do dilúvio, o tempo do caminho do deserto, o tempo de recolhimento de Jesus. O celebrante ainda recordava o grande mandato de Jesus aos discípulos: Ide e evangelizai a todos os povos. No final de sua breve homilia lembrou o dia das comunicações, recordando o saudoso Bem-aventurado Pe. Tiago Alberione, fundador da Família Paulina, que deu a Igreja esta nova maneira de evangelizar.

_____________________________

_____________________________

_____________________________


Vídeo 3D de como ficará a Obra da paróquia após a conclusão

ESTAMOS PRÓXIMOS DA 1ª LAJE

Nesta semana que passou vários serviços foram realizados: chegaram mais 3 caminhões de escoramento, um caminhão de madeiramento; abertos e concretados 3 tubulões. Terminamos de concretar o poço do elevador, continuou a  montagem dos andaimes do escoramento. Estão trabalhando na obra em média 4 ajudantes, um pedreiro, 4 carpinteiros, 2 armadores, um encarregado, mais um engenheiro presente em tempo integral. Nesses dias, alguns paroquianos e amigos passaram pela paróquia e entraram para ver o andamento das obras, ficaram impressionados com o que viram. Agradecemos a todos que já estão colaborando com as obras, convidamos cada paroquiano a ser um divulgador deste grande empreendimento. Juntos e unidos vamos ser vencedores. Este tempo de pandemia não impediu os trabalhos continuarem, mas obrigou a paróquia a buscar novas  alternativas de ação, sobrecarregou para algumas pessoas, por isso pedimos a todos que não deixem de fazer suas contribuições, do dizimo e das obras. Um pouco de cada um faz bastante.

_____________________________

PAROQUIANOS E ADMIRADORES: SAÍMOS DO CHÃO! COMEÇARAM OS PREPARATIVOS PARA A 1ª LAJE

Depois de vários meses de trabalho com as fundações, restam ainda alguns tubulões. O rosto da obra começa a ter novo aspecto, os operários não estão trabalhando mais em meio a lama, saímos do chão. Uma nova fase. Quem passou pela paróquia nestes últimos dias pôde verificar diversos caminhões entrando com material, eram madeiras para formação das colunas e vigas e peças para o escoramento. Iniciaram os preparativos para a concretagem das colunas, vigas e laje do 1º pavimento, as obras estão avançando.

Paroquianos e Admiradores da paróquia Santo Inácio de Loyola participe desta conquista. Faça sua doação para a obra. Sua doação, ajudará a levar em frente esta corajosa e ousada reforma, que dará um novo vigor a paróquia e ao bairro. Mesmo em tempo de pandemia, de dificuldades econômicas, participe. Convide seu amigo a participar também. Juntos e Unidos vamos vencer.

Conta para depósito:

Paróquia Santo Inácio de Loyola

BRADESCO – Agência: 0108-2 | Conta: 323730-3

CNPJ: 63.089.825/0293-98

_____________________________

GRATIDÃO: UMA PALAVRA QUE SE ETERNIZA DIA DAS MÃES

MÃE: UMA ETERNA GRATIDÃO.

Na vida de cada um de nós existe uma pessoa que ficará para sempre em nossa memória: a Mãe!
Os poetas fazem versos, os escritores criam pensamentos, profissionais, de todas as áreas, pessoas, não importa o grupo social a que pertence, todos dentro de si, carregam os sentimentos mais profundos com relação a mãe.”

Tudo aquilo que sou, ou pretendo ser, devo a um anjo, minha mãe” (Abraham Lincoln). Difícil encontrar um(a) filho(a) que não tenha este sentimento. Podem esquecer de tudo, mas não esquecem da própria mãe.

“Do seu lado tudo é belo e todos os momentos ficam guardados no coração”. A mãe é sempre aquela pessoa que possui as palavras certas. O coração de mãe vê mais longe.

Também na história de muitos santos(as) encontramos a mãe, como a pedra fundamental da religião, lembramos as mães de Santa Teresinha e de Santo Agostinho. Dia das mães, não deveria ser um dia, mas o ano inteiro, porque a mãe é sempre uma pessoa, que mesmo ausente, ela é presença. Neste dia encontramos as formas mais diversas de manifestação filial. Não faltará o abraço, não

faltarão as flores, os presentes, viagens, todos correm para abraçar sua mãe. Cada um encontra uma forma de celebrar o dia das mães.
Na paróquia, este ano, não teremos a alegria de festejar o dia das mães, mas colocaremos no ofertório de nossa missa, neste domingo, às 9:30, todas as mães: vivas ou falecidas. Dizer a cada uma de vocês nossa eterna gratidão.

A presença de cada uma de vocês na comunidade é por demais importante. Ser mãe, ser pai, não é porque a natureza nos permite, mas é reconhecer que Mãe, Pai é uma vocação, uma missão. Nem todos os homens tem vocação para serem pais e nem todas as mulheres tem vocação para serem mães. Mãe, nós amamos vocês. Que Deus abençoe a todas.

Pe. Mário Pizetta

_____________________________

CARTA ÀS MÃES 

Estamos no mês de maio: mês de Maria, mês das noivas e mês das mães. Como se pode ver é um mês realmente especial. Quero me dirigir de modo muito carinhoso a todas as mães deste imenso Brasil, sobretudo àquelas que perderam seus filhos – também os vitimados pelo COVID-19 – e as que são paroquianas da Paróquia Santo Inácio de Loyola: todas as mulheres que são geradoras de vida. Não importa quem você seja, que nome nem sobrenome você tem, que cor você tem, que classe social você pertence, que grau de escolaridade você possui, que cor dos olhos você tem, que emprego você possui… Tudo isso não é nada, diante do grande mistério que você carrega em si mesma de poder gerar outra vida dentro de si. Existe porventura dádiva maior do que esta? Penso sinceramente que não.

Obrigado a você mãe que assume com responsabilidade a missão de cuidar de outro ser humano em todos os sentidos. Quando a gente vai crescendo e amadurecendo é que valoriza ainda mais a você, sobretudo quando se está distante física e geograficamente ou quando as perdemos. Nem sempre conseguimos, nós filhos, manifestar com gestos concretos o quanto amamos cada uma de vocês. Acho que temos vergonha e acabamos fingindo que não nos importamos com vocês. Saibam que é tudo mentira. É desculpa de “gente grande”.

Vocês sempre nos consideram como seus eternos filhos pequenos. Não importa quem somos hoje ou a idade que temos, o que conta para vocês é que somos seus filhos. E sempre que nos encontramos ou nos comunicamos através de e-mails, mídias digitais ou telefone, vocês manifestam as mesmas preocupações de sempre. As perguntas são as mesmas: “você tem se cuidado bem?”, “você tem se alimentado e dormido direito?”, “você tem estudado com seriedade?…” São as preocupações de quem gerou uma nova vida e a ama profundamente. Quem ama se preocupa com o ser amado.

Parabéns a todas vocês, mas quero parabenizar de modo muito especial às mães idosas e enfermas. Você que está lendo ou ouvindo este texto agora, já parou e olhou dentro dos olhos da sua mãe? Com o passar dos anos eles parecem perder o brilho da vitalidade, da alegria, da disposição… Às vezes elas são tão “castigadas” pela vida que acabam por perder o encantamento de viver. E é nessa hora que, todos nós filhos, devemos nos tornar próximos delas. A você que é enferma e está num leito de hospital, em sua própria casa, vive num asilo, clínica geriátrica ou casa de repouso, receba o meu abraço repleto de compaixão e carinho pelos anos vividos com tanta dedicação à sua família. Torço para que as vidas geradas por vocês não as abandone nesse momento em que mais precisam delas. Se vocês estão abandonadas e esquecidas pelos seus filhos, saibam que eles não merecem ser chamados de filhos.

Também a vocês que já são idosas e experientes da vida, recebam meu abraço afetuoso e meu beijo respeitoso repletos de gratidão pela sua longa existência no meio de nós. Os anos vividos são sempre bênção de Deus. Também com saudades quero rezar pelas mães falecidas. Elevemos a Deus nossas preces pelas mães que, cumpridas sua missão na terra, retornaram a ele. Que todas elas estejam na presença de Deus, gozando eternamente da sua luz.

Rogo a Maria, mãe das mães, que envolva cada uma de vocês com o seu manto sagrado e as proteja de todo tipo de mal, de perigo, de perturbação e de enfermidade. Permaneçam em paz e que o Deus da Vida plena as abençoe abundantemente hoje e sempre.

  • Prece à Maria pelas mães 
Pe. Antônio Lúcio, ssp 
Pe. Antônio Lúcio, ssp

Mãe de Jesus
Mãe da minha mãe e das mães de todo o mundo
Protege aquelas que a ti se assemelham pela maternidade
Sustenta aquelas que em ti se espelham na hora da luta
Consola aquelas que a ti se unem pela dor.

Ensina às mães a paciência das longas esperas
Explica a elas os mistérios da vida gerada
Confidencia-lhes as alegrias que só as mães entendem
E as angústias que só elas sofrem.

Senta-te com elas à mesa de tua casa em Nazaré
E conversem sobre seus filhos
Falem de seus sonhos, de suas preocupações,
Rezem juntas, meditem a Palavra.

Consola as mães na hora da separação
Lembra-te do dia em que Jesus partiu para o mundo
Deixando-te muda de saudades.

E diga a todas as mães, Mãe de cristo Jesus,
O amor e a gratidão de seus filhos
Que nem sempre sabem falar
Porque, afinal, são sempre crianças.

(Publicado no site Misericórdia)

Pe. Antônio Lúcio, ssp

_____________________________

Missa através do facebook: uma novidade em nossa paróquia!

Nestes dias que estamos vivendo recolhidos em nossas casas devido a pandemia da COVID-19, foi necessário criar algo novo, não somente em nossa paróquia, mas também muitas outras espalhadas pelo nosso Brasil tiveram esta iniciativa. A necessidade faz a gente ser criativo. No dia 26, celebramos o 3º domingo da páscoa, e grande foi nossa alegria, pois uma centena de pessoas de nossa paróquia, e pelo Brasil afora, acompanharam nossas celebrações. Todos estes dias as visualizações passaram de 1000. As missas foram presididas pelo pároco, Pe. Mário, e concelebradas pelo Pe. Lúcio, vigário. As leituras estiveram a cargo  de uma pessoa presente e demais participações de pessoas responsáveis pela transmissão, que se alternavam-se. Ao longo desses dias ajudaram nas transmissões: Neuza e Fábio, o Júnior, a Alessandra e o José, a Marília. Nos cantos tivemos a participação do João Paulo, religioso paulino, e do Antônio. As fotos foram registradas pela Rami, da Pascom. Podemos dizer que foi uma bela experiência. Pedimos desculpas pelas falhas. O trabalho desenvolvido foi feito com muito amor e dedicação. Estamos abertos para as críticas. Ficamos também muito gratos pelas observações dos paroquianos manifestando o desejo de que nossas celebrações retornem o mais breve possível.

Pe. Mário Pizetta, ssp

_____________________________

Em meio ao silêncio, o vazio do templo, a luz brilhou

Em meio ao silêncio, o vazio do templo, a luz brilhou

Dessa forma podemos dizer que foi a celebração da Vigília Pascal de 2020. Não havia a fogueira no pátio da igreja, mas sentia-se o calor que vinha das pessoas que nos acompanhavam de suas casas. Também não haviam as velas acesas do povo, mas a fé no Ressuscitado que vinha da casa de muitos paroquianos e admiradores que participavam da celebração pelo Facebook. A celebração começou quando Pe. Mário acendeu o Círio Pascal, de uma pequena luz que estava nas mãos do Pe. Lucio, e fazendo a incisão sobre o Círio expressou estas palavras: Cristo ontem e  hoje; Alfa e Ômega, e  cravou os cravos, e em voz forte, por três vezes, fez o anúncio: A luz de Cristo. Em seguida, Pe. Lucio cantou a Proclamação da Páscoa: Exulte de alegria…Ainda na penumbra foram lidas algumas das leituras propostas. O glória foi cantado e as luzes da nave foram acesas. Não teve homilia. Após o evangelho foi dada a bênção da água. Na renovação das promessas batismais, o povo foi convidado a renovar junto. A Pascom da paróquia  organizou a transmissão da missa.

_____________________________

A VIDA VENCE A MORTE

Para mim uma Pascoa diferente: sem confissões, mas com muitos pedidos de perdão, celebrações  sem povo, sem cantos, ruas desertas, uma sociedade que se refugiou para dentro de casa, poucas pessoas circulando pelas ruas, isolou-se,  esse foi o ambiente externo de nossa igreja.

O apartamento, a casa de cada um transformou-se numa espaço religioso. Tornou-se um momento de oração familiar. Muitos tiveram tempo para ver filmes religiosos, ler e enviar mensagens, meditar, talvez como nunca se viu. Foi uma Pascoa diferente. Tudo isto porque vivíamos um ambiente de calamidade pública: uma  pandemia, todos ameaçados por um inimigo  invisível e terrível: o corona vírus.

Meu irmão, minha irmã, a Pascoa é uma passagem. Anualmente, de forma solene, celebramos e  renovamos nossa fé  em Cristo, que todos os dias, pela santa eucaristia,  nos torna fortes, nos encoraja para sermos pessoas de esperança e jamais nos deixar abater pelos problemas do dia a dia. Somos mais fortes do que nossos problemas.

Cristo Ressuscitado é a favor da vida, vence a morte.  Nós, como seus  filhos e filhas amados, seguinte o mandamento do amor, construiremos um mundo melhor. Unidos em oração, peçamos a Deus que nos ajude   a superar esse inimigo, para que não mate tantas pessoas.

Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco

_____________________________

Um Domingo de Ramos sem o povo

A semana Santa estava sendo preparada com muito carinho, equipes tinham sido montadas. Licenças, junto às autoridades, haviam sido tiradas. Tudo era uma expectativa, mas a 2ª quinzena de março  preanunciava uma dura experiência. Inicialmente, China, depois,  Itália, e também chegou no Brasil.  Um vírus silencioso e invisível amedrontou o mundo,  o comercio fechou, e as igrejas também foram fechadas. Nas ruas, os carros quase não se viam. As pessoas menos ainda. Chegou o domingo de Ramos, pessoas ligavam: “foi cancelada a procissão”, tristemente tínhamos que dizer sim. Mas a missa não deixou de ser celebrada. No domingo de Ramos, padre Mário e padre  Lucio, com alguns poucos paroquianos, a missa aconteceu.  “escutava do pároco: “como padre, foi um domingo de ramos diferente, poucas vezes vivi este momento, sem presença do povo. Na sua homilia, Pe. Mário que presidiu a missa, transmitida pelo Face, lembrou que Jesus tinha palavras de conforto. No evangelho, Jesus no tribunal, chamou atenção sobre os gritos: “seja crucificado”, “seja crucificado”. Assim como hoje batemos panela, vamos para as praças manifestando insatisfação ou apreço.

_____________________________

Prezados(as)  Paroquianos(as),A paróquia Santo Inácio de Loyola apresenta o decreto da Arquidiocese com relação às missas: Pedimos a todos que procurem participar das missas pela televisão e rezar em casa. Deus é sempre misericordioso e compassivo.

COMUNICADO
SOBRE A SUSPENSÃO TEMPORÁRIA
DE CELEBRAÇÕES RELIGIOSAS

“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, cf. Lc 10,33-34.

Tendo em vista a grave crise sanitária provocada pela disseminação do “novo Coronavírus”, determino, em função do cânon 87§1 do Código de Direito Canônico, a suspensão de todas as celebrações e eventos religiosos com a participação de povo, da Igreja Católica na Arquidiocese de São Paulo, a partir do dia 21 de março de 2020 e até decisão ou orientação diversa.

Determino que esta COMUNICAÇÃO seja impressa e afixada nas portas das igrejas. Exorto a todos que sigam conscienciosamente as orientações das Autoridades sanitárias para evitar a difusão da COVID-19 e colaborem com grande caridade cristã e solidariedade humana na preservação da saúde e no cuidado dos enfermos. A vida é dom precioso de Deus e requer o compromisso fraterno de todos.

Exorto os sacerdotes, diáconos, religiosos e todos os colaboradores de nossas comunidades eclesiais a que não deixem de prestar assistência e conforto religioso e espiritual ao povo, especialmente aos enfermos, nos modos possíveis nesta hora de angústia e incerteza. Os Padres celebrem em privado pelo povo nos horários costumeiros e procurem manter o contato com suas comunidades através das mídias, transmitindo também as celebrações ao povo pelas mesmas mídias.

Exorto os fiéis a acompanharem, em suas residências, as celebrações e atos religiosos transmitidos pelos vários Meios de Comunicação Social. Peçamos juntos, com fé e perseverança, que Deus tenha misericórdia de seu povo, livrando-nos de toda doença e angústia. Estejam certos de que o Arcebispo os acompanha com sua preocupação e carinho e reza por todos cada dia. Deus os abençoe e guarde no seu amor.

São Paulo, 21 de março de 2020

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo

_____________________________

Amigos(as) paroquianos(as), e Pessoas que buscam a Deus, Bom dia

Tem uma frase no evangelho de Mateus, no capitulo 11,28-29 que diz: “Vinde a mim, todos vocês que estão cansados de carregar o peso de seu fardo, e eu lhes darei descanso. Carreguem a minha carga e aprendam de mim porque sou manso e humilde de coração, e  vocês encontrarão descanso  para suas vidas. Pois bem, estas palavras podem nos ajudar neste momento que vivemos confinados em nossas casas.

O isolamento, para aqueles que podem, é sinal de prudência, de sabedoria. Vamos tomar cuidados para salvar vidas. A vida é um precioso dom de Deus. Precisamos cuidar dela. Sinto muita tristeza, quando entro na igreja e vejo aqueles bancos vazios. Às vezes, quase caio na tentação de pensar que estamos deixando de acreditar em Deus, sinto que precisamos pedir: ”Senhor aumenta a nossa fé”.

No momento, todos nós sofremos porque  somos obrigados a viver situações assim. Diria, para os que podem, vamos aproveitar destes momentos para solidificar nossa fé em Cristo Jesus, saber que é somente nele que encontramos o verdadeiro descanso, a verdadeira paz.

Nossa segurança, não está no dinheiro, embora ele faz parte do nosso viver. A vida ganha sentido quando somos solidários e caminhamos unidos. Nossa comunidade, com vocês continua sendo uma fonte de agua viva. Um abraço e que Deus vos abençoe.

Pe. Mário Pizetta, Pároco
Paróquia Santo Inácio de Loyola.

_____________________________

Solenidade de São José

No dia 19 de março, Solenidade de São José, tivemos três Celebrações Eucarísticas na Paróquia  Santo Inácio. O Pároco, Pe. Mário, presidiu as duas primeiras, às 7h3o e 12h. O Vigário, Pe. Lúcio, presidiu a das 18h. Como preparação a esta Solenidade do Padroeiro da Igreja Católica, foi realizado um Tríduo nos dias 16, 17 e 18 de março nas Missas diárias. Que São José, homem justo e fiel, interceda a Deus por todas as famílias do mundo inteiro.

_____________________________

3 de junho – Memória de São Carlos Lwanga, e seus companheiros, mártires

Naquela manhã, em que o rei Mwanga reuniu a corte, pairava no ar uma grande expectativa. Na sala percebia-se a...
Read More
3 de junho – Memória de São Carlos Lwanga, e seus companheiros, mártires

02 de Junho – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

Read More
02 de Junho – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

2 de junho – Memória Facultativa dos Santos Marcelino e Pedro, mártires

Como que pressagiando a sua missão de transmitir a memória de inumeráveis mártires, São Dâmaso, como refere ele mesmo, recolheu...
Read More
2 de junho – Memória Facultativa dos Santos Marcelino e Pedro, mártires

01 de Junho – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

01
Read More
01 de Junho – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

1º de junho – Memória de São Justino, mártir

Filósofo cristão e cristão filósofo, como foi acertadamente definido, Justino nasceu em Siquém (atual Nablus) na Samaria, no ano 100....
Read More
1º de junho – Memória de São Justino, mártir

31 de maio – Festa da Visitação de Nossa Senhora

Após a anunciação do anjo, Maria sai (apressadamente, diz São Lucas) para fazer uma visita à sua prima Isabel e...
Read More
31 de maio – Festa da Visitação de Nossa Senhora

31 de Maio – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

Read More
31 de Maio – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

Eu Vos Envio: Recebeu o Espirito Santo

Eu Vos Envio: Recebeu o Espirito Santo Celebramos hoje a conclusão do período Pascal com a festividade de  Pentecostes, uma...
Read More

30 de Maio – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

Read More
30 de Maio – Pensamentos Bem Aventurado Tiago Alberione

30 de maio – Santa Joana D’Arc, virgem

Uma jovenzinha de Domremy, de 13 anos, Joana D’Arc, enquanto rezava na igreja do seu povoado, ouviu misteriosas vozes que...
Read More
30 de maio – Santa Joana D’Arc, virgem

_____________________________

“NESTE MUNDO VOCÊS TERÃO AFLIÇÕES, MAS TENHAM CORAGEM; EU VENCI O MUNDO”(Cf. Jo 16,33)
Prezados(as) Paroquianos(as), Amigos paroquianos
Bom dia,
Espero encontrá-los todos bem. Ontem rezei, via Zap, a oração de São Sebastião, sobre a peste que muitos de vocês acompanharam.
Hoje vos transmito um pensamento que busquei no evangelho de João. Ele é muito oportuno neste momento. Estamos vivendo um clima de insegurança, medo, temor, e de certa forma um clima de pânico, que algumas pessoas estão passando nas redes sociais e nos meios de comunicação. “Todos entendem de tudo!” Estejamos atentos a tudo o que chega em nossas redes. Digo-vos: sigam as orientações das autoridades sanitárias e d do ministério da Saúde. Partilho também que nesses dias, quando entro na igreja e vejo os bancos vazios, sem nenhuma criatura, me lembro de todos que no decorrer do dia aqui estavam, participando das missas, lendo a sagrada escritura, rezando. Digo-vos ainda mais, Jamais em minha vida tinha vivido uma situação dessas, mas como nos ensinam os mais idosos: ”todos os dias temos oportunidade de aprender algo novo”. A vida é sempre a melhor escola. Quando dela tiramos as lições, crescemos.
Informo também que as obras continuam, a construção civil não parou, apenas foram solicitados cuidados e precauções. Peço a todos vocês que mantenham-se  fortes, como os discípulos e vamos juntos tirar as lições que esta pandemia  está nos ensinando. Depois dela não poderemos ser mais os mesmos. Deveremos ser mais solidários e próximos uns dos outros Se puderem partilhem com vossos grupos.
Rainha dos Apóstolos, Rogai por nós
Nossos Bem aventurados, Padre Alberione e Padre Tmóteo Giaccardo, Rogai por nós
Santo Inácio, Rogai por nós
Pe. Mário Pizetta, ssp
Pároco
Paróquia Santo Inácio de Loyola
_____________________________

Retiro Quaresmal: cuidar-se para cuidar!

Prezados Paroquianos,

graça, misericórdia, saúde e paz!

Já faz uns dias, comigo desde sábado, dia 21 de março, que não nos vemos pessoalmente no espaço celebrativo na Paróquia Santo Inácio de Loyola. Estive lá na manhã de sábado para a Celebração Eucarística das 8h. Ao chegar à porta da igreja, encontrei-me com o Pe. Mário, o Luciano e ela totalmente vazia. O cenário indicava que a rotina iria mudar radicalmente dali por diante e é o que, de fato, está acontecendo desde então.

Estou em quarentena, com outros Coirmãos Paulinos, na nossa Comunidade, como orientam as Autoridades Sanitárias e os Profissionais da Saúde. O momento atual, no Brasil e no mundo, não é para heroísmos inconsequentes. A vida, dom mais precioso que possuímos, deve ser preservada a todo custo. Deus não está presente apenas nas igrejas. Ele está em toda parte. Somos templos vivos dele e atualmente é hora de participarmos de nossas igrejas domésticas, que são os nossos lares. É o que a maioria da população está fazendo.

A pandemia da COVID-19 está obrigando-nos a viver uma quarentena forçada. O único remédio para tentar contê-la, no momento, é o isolamento social. Demais orientações encontramos todos os instantes nos meios de comunicação e devemos estar atentos contra as fake news.

Desde domingo, dia 22, 4º Domingo da Quaresma, decidi enviar diariamente um breve vídeo para todos vocês, manifestando minha proximidade, oração e solidariedade. A Campanha da Fraternidade deste ano pede para que cuidemos das pessoas e, consequentemente, da vida. A quarentena é exatamente isso: cuidar-se e cuidar-nos!

Estes dias de recolhimento em casa e em família, têm facilitado a vivência da “cultura do encontro” tão querida ao nosso Papa Francisco e a todos nós que a propagamos exaustivamente. De repente o tempo, que parecia nosso inimigo diário, parou e rendeu-se. Ficou nosso aliado e está fazendo com que nos aproximemos uns dos outros, especialmente no seio de nossas famílias. Foram redescobertos valores esquecidos e abandonados pelo frenesi da vida moderna. Atitudes simples que a geração nova – de nossas crianças e adolescentes – desconhecia e que foram vivenciadas por nós mais maduros: rezar juntos, brincar juntos, dialogar, conversar, conviver, conhecer-se mais, entrosar-se… tornar-se mais humanos, mais gente!

Temos vivido dias semelhantes a um retiro quaresmal, mesmo que forçado para algumas pessoas, mas que não têm outra opção. Ainda estamos vivendo o tempo litúrgico da Quaresma, tempo forte que nos convoca à conversão e a uma vida nova. Este tempo de graça que estamos vivendo, recolhidos em casa, faz-nos debruçar sobre nós mesmos e fazer um sério exame de consciência.

Aproveito da oportunidade e sugiro alguns questionamentos que podem ajudar nesta caminhada de preparação rumo à Páscoa do Senhor.

Temos reservado momentos de silêncio para nos encontrarmos a sós com Deus e com nós mesmos? Temos lido e meditado a Palavra de Deus? Temos realmente nos preocupado com os sentimentos, as alegrias, as tristezas e as angústias das pessoas que vivem à nossa volta? Estamos atentos aos acontecimentos do mundo, que entram em nossos lares todos os dias pelos mais diferentes meios de comunicação e que vão contra ao Projeto do Reino de Deus?

Quantas vezes nos ajoelhamos nos templos religiosos ou mesmo em nossos lares em atitude de oração, inclusive diante de Jesus Hóstia, mas com os pensamentos carregados de maledicência em relação ao próximo? Quantas vezes imploramos, até mesmo com lágrimas, o perdão a Deus de nossos pecados, trazendo no peito e no coração ressentimentos, mágoas, rancor, ódio, inveja e ciúmes?

Quantas vezes temos um quadro bonito e até mesmo valioso dos Santos e Santas de Deus nas paredes de nossas casas e, mesmo assim, continuamos tratando as pessoas com indiferença e rispidez? Fazemos exatamente o contrário do que nos convida a Campanha da Fraternidade: “Não vejo, não sinto compaixão e não cuido dele (a)” [Lc 10, 33-34]?

Estamos limpando o nosso coração machucado com o remédio do perdão e da reconciliação? Temos realmente cuidado de nós mesmos para, depois, estarmos aptos para cuidar dos outros?

Não bastarão, meus irmãos e irmãs, elencarmos santos e piedosos propósitos para vivermos depois da quarentena, se desde agora não nos dispusermos a vivê-los concretamente. Em momentos como estes, que estamos vivendo, ficamos mais sensíveis, reflexivos e orantes. Estejamos atentos para quando tudo isso terminar, colocarmos em prática o que de bom aprendemos neste tempo de retiro quaresmal – mesmo que forçado –.

Concluo com a Oração ao Espírito Santo para pedir pela saúde, de autoria do Bem-aventurado Tiago Alberione: “Divino Espírito Santo, Criador e Renovador de todas as coisas, vida da minha vida! Com Maria Santíssima, eu vos adoro, agradeço e amo! Vós, que dais vida a todo o universo, conservai em mim a saúde. Livrai-me de todas as doenças e de todo mal! Ajudado com a vossa graça, quero usar sempre minha saúde, empregando minhas forças para a glória de Deus, para o meu próprio bem e para o bem do próximo. Peço-vos ainda, que ilumineis, com vossos dons de sabedoria e ciência, os médicos e todos os que se ocupam dos doentes, para que conheçam a verdadeira causa dos males que destroem ou ameaçam a vida, e possam também descobrir e aplicar os remédios mais eficazes para defender a vida e curá-la. Virgem Santíssima, Mãe da Vida e Saúde dos Enfermos, sede mediadora nesta minha humilde oração! Vós que sois a Mãe de Deus e nossa Mãe, intercedei por mim! Amém”.

Em comunhão com todos vocês paroquianos, doentes de quaisquer enfermidades (especialmente da COVID-19), profissionais da saúde e de outros seguimentos da sociedade que não estão em quarentena, às pessoas que recomendaram nossas orações… eu digo invocando o poderoso nome de Jesus: “Eis que eu estarei com vocês todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28,20).

Abraço e abençoo cada um de vocês – e suas famílias – com toda a ternura de que é capaz, neste momento delicado que vivemos, o meu coração, que a exemplo de Jesus, o Bom Pastor, “vendo as multidões, teve compaixão” (Mt 9,36).

Pe. Antônio Lúcio, ssp
Vigário Paroquial

_____________________________

_____________________________

Memória Facultativa de São Brás, bispo e mártirNo dia 3 de fevereiro, a Igreja recorda a Memória Facultativa de São Brás, bispo e mártir. Lemos na sua Paixão que, enquanto estava indo ao martírio, uma senhora, cujo filho engasgado com um espinho de peixe estava morrendo, prostrou-se a seus pés e o santo concentrou-se em oração passando a mão na cabeça do menino. O menino sarou imediatamente. Desde então ele é o protetor da garganta contra qualquer mal (asfixia). É também o protetor dos cardadores, por ter tido suas carnes rasgadas com pentes de ferro. Suportou muitos suplícios até que, por fim, lhe cortaram a cabeça. É protetor dos animais selvagens, dos cabeleireiros, dos que trabalham com velas e parafinas (uma mulher levou-lhe um par de velas para iluminar sua cela escura quando era prisioneiro). Na Paróquia Santo Inácio foram celebradas duas missas com a bênção da garganta: pela manhã foi presidida pelo Pe. Lúcio e, pela tarde, pelo Pe. Mário.

_____________________________

Pensamentos do Bem-aventurado Tiago Alberione

28 de Maio -Pensamentos do Bem-aventurado Tiago Alberione

_____________________________

OBRAS DE OTIMIZAÇÃO DOS ESPAÇOS DA PAROQUIA  SANTO INÁCIO ESTÃO COMEÇANDO.
Faça sua Doação ajude na construção da nossa paróquia
DEPÓSITOS BRADESCO AG: 0108-2      C/C: 323.730-3      CNPJ: 63.089.825/0293-98

Obras da Reforma a Paróquia Caminham.

O primeiro momento dos trabalhos da  Reforma na paróquia Santo Inácio iniciaram em início de maio de 2019 com a retirada da energia e da água da casa antiga casa do Pe. Romano, churrasqueira, e casas próximas. O segundo passo, final de maio e junho, aconteceu  a demolição desses espaços. Em julho  aconteceu a nossa “festa julina”. No final  de setembro e  outubro, feitos os ajustes da energia e agua para o Templo e o Salão São Paulo  e a consequente demolição da segunda etapa: o salão Santo Inácio, cozinha, secretaria, escritórios e salas. Em novembro-dezembro, acontecem os preparativos para iniciar a obra. Nos primeiros dias de janeiro de 2020 foram feitos os gabaritos. De 13 de janeiro a 14 de fevereiro, foram feitas as estacas. A partir desta data foi dado o início aos trabalhos dos blocos, vigas, tubulões e  baldrames. As fotos abaixo, gentileza do Sr. Eng. Bechara,  ilustram o momento atual Obra. Convidamos todos os paroquianos e  admiradores da paróquia Santo Inácio a nos unir neste grande empreendimento.

Contribuições podem ser feitas:

DEPÓSITOS BRADESCO AG: 0108-2      C/C: 323.730-3      CNPJ: 63.089.825/0293-98

_____________________________

Created with GIMP

________________________

_____________________________

Santo do dia 28 de maio – Memória Facultativa de São Beda, o Venerável, presbítero e doutor da Igreja

Santo do dia - 28 de maio – Memória Facultativa de São Beda, o Venerável, presbítero e doutor da Igreja

O nome Beda em língua saxônica quer dizer oração. São Beda, “o pai da erudição inglesa”, como o definiu o historiador Burke, morreu com 63 anos na Abadia de Jarrow, na Inglaterra, após ter ditado a última página de um de seus livros e ter recitado o “Glória ao Pai”. Era a véspera da Ascensão, 25 de maio de 735. Recebeu sua formação nos dois Mosteiros Beneditinos de Wearmouth e Jarrow, e neste último foi ordenado Padre aos 22 anos.

As maiores satisfações da sua vida foram por ele mesmo compendiadas em três verbos: aprender, ensinar, escrever. A maior parte de sua obra de escritor tem origem e fim no ensinamento. Escreveu sobre filosofia, cronologia, aritmética, gramática, astronomia, música, medicina. Mas São Beda é antes de tudo um teólogo, de uma linguagem fluida e simples, acessível a todos.

Ele é apresentado como um dos pais de toda a cultura posterior, influindo através da Escola de York e da Escola Carolíngia sobre toda a cultura europeia. Entre os monumentos insignes da historiografia fica a sua História eclesiástica do povo inglês, pela qual mereceu ser proclamado no Sínodo de Aquisgrana, em 836, “venerável e doutor admirável dos tempos modernos”. Gostava de autodefinir-se como “historiador verdadeiro”, com a consciência de ter prestado um serviço à verdade.

O Papa Gregório II chamara-o a Roma, mas Beda suplicou-lhe que o deixasse na laboriosa solidão do Mosteiro de Jarrow, de onde saiu somente por poucos dias, para estabelecer as bases da Escola de York.

Após ter ditado a última página do seu Comentário de João, “agora dirija minha cabeça – disse ao monge escrivão – e faça com que eu possa volver os olhos para o lugar santo onde rezei, porque sinto na alma uma grande doçura”. Foram suas últimas palavras.

Ó Deus, que iluminais a vossa Igreja com a erudição do vosso Presbítero São Beda, o Venerável, concedei-nos sempre a luz da sua sabedoria e o apoio de seus méritos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

_____________________________

Batizados comunitários de março: cinco meninos.

Batizados comunitários de março: cinco meninos.

Os batizados de março ocorreram no dia 14 , às 9 horas, e foram realizados pelo Pe. Mário Pizetta. A grande novidade, foi  o fato de serem cinco meninos, poucas vezes isto acontece, geralmente meninos e meninas. As crianças: Lucas, Gustavo, Theo, João e Erick. Outra novidade foi a presença alegre das famílias em grande número. Na breve partilha da palavra, a luz do evangelho de João, do encontro de Nicodemos com Jesus, o celebrante lembrou que o dia do Batismo é um data importante, pois é o dia em que tornamos a criança filha de Deus, não apenas filha da carne. Recordou ao pai, mãe, padrinho madrinha, que a data do batismo deve ser sempre recordada. As fotos foram registradas pela Rami, da Pascom.

_____________________________

2020: Datas móveis do calendário católico são apresentadas!

No último domingo, 5 de janeiro, em todo o Brasil,  a Igreja fez o anúncio das Solenidades e Festas móveis de todo o ano de 2020. O ano de 2020 é o ano A, no qual são proclamados no tempo comum os textos do Evangelho de São Mateus. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil disponibilizou o calendário com as datas móveis. Confira abaixo:

2020 –  ANO A –   (São Mateus) – Festas e Solenidades móveis 

  • Epifania do Senhor (Domingo)- 5 de janeiro;
  • Batismo do Senhor (Domingo)- 12 de janeiro;
  • Quarta-feira de Cinzas- 26 de fevereiro;
  • Páscoa da Ressurreição- 12 de abril;
  • Ascensão do Senhor- 24 de maio;
  • Pentecostes- 31 de maio;
  • Santíssima Trindade- 07 de junho;
  • Corpo e Sangue de Cristo- 11 de junho;
  • Sagrado Coração de Jesus- 19 de junho;
  • São Pedro e São Paulo (Domingo)- 28 de junho;
  • Assunção de N. Senhora- 16 de agosto;
  • Todos os Santos (Domingo)- 01 de novembro;
  • Solenidade de Cristo-Rei- 22 de novembro;
  • 1º Domingo do Advento- 29 de novembro;
  • Sagrada Família (Domingo)- 27 de dezembro.

_____________________________

SECRETARIA DA PARÓQUIA TEM NOVO ENDEREÇO: Rua França Pinto 78
Informamos a todos os paroquianos, frequentadores e amigos da paróquia Santo Inácio de Loyola, que a secretaria mudou para a Rua França Pinto 78. As missas continuam em seus horários normais nos dias de semana e finais de semana. Tel: 55711744

Faça um Tour Virtual pela nossa paróquia

_____________________________

Este é meu filho amado

Os batizados comunitários de janeiro aconteceram no dia 11 e foram presididos pelo Pe. Mário Pizetta. Foram acolhidas quatro crianças:  A Iris, o Fernando, , a Júlia e o Pedro, juntamente com seus pais, padrinhos e familiares. Os batizados ocorreram bem, muita alegria, fé e participação. Pe. Mário  buscou aprofundar com os presentes a compreensão de que o Batismo é a porta de entrada da experiência cristã. Lembrou ainda que o dia do batismo de um filho é uma grande oportunidade de retornar ao caminho da comunidade. As fotos foram efetivadas pela Rami, da Pascom.

_____________________________

Contribua para a reestruturação dos espaços da paróquia faça sua colaboração para uma nova Santo Inácio

_____________________________

Começam os trabalhos Catequéticos

No dia 9 de fevereiro, na missa das 9:30hs com missa presidida pelo Pároco, Padre Mario Pizetta e concelebrada pelo Vigário, Pe. Lucio, e presentes a Equipe de Catequese foram abertas as atividades formativas de catequese. Neste ano teremos a Coordenação da Denise, que terá a colaboração das catequistas:  Neusa, Adaísa, Santina, Ivone, Marília e Sabrina. Os adultos serão acompanhados pela Eliana e os jovens da Crisma pelo Junior. A missa iniciou com a entrada de todas as crianças que iriam começar a catequese. Seguiu a celebração normal. Na homilia, Pe. Mário fez uma exortação afirmando que “a catequese na comunidade é um complemento no caminho da fé que  a criança recebeu da família. Lembrou da importância da família, como base de toda a catequese; A melhor catequese é aquela dada pelo testemunho dos pais. Na catequese vamos também aprender o sentido de comunidade. Após a comunhão, Pe. Mário apresentou a nova coordenadora, toda a equipe de catequistas e no final chamou todas as crianças  na frente, para serem apresentadas. Aquelas que estavam começando a caminhada e também as demais crianças. Após a missa, foi a vez dos pais se encontrarem com a equipe de catequese no espaço alugado pela paróquia, que apresentaram o programa a ser desenvolvido neste ano. As fotos foram feitas pela Mariana.

_____________________________

FREI RICARDO André MARIA Borello, SSP – Discípulo do Divino Mestre

Modelo de todos os leigos que se dedicam ao apostolado da comunicação social – Proclamado Venerável há 30 anos

FREI RICARDO André MARIA Borello, SSP Discípulo do Divino Mestre

A fama de santidade que tinha acompanhado a vida do Frei André Maria, impulsionou ao Fundador, Bem-aventurado Tiago Alberione, a abrir a Causa de Canonização, por ocasião dos cinquenta anos de fundação da Congregação dos Padres e Irmãos Paulinos. O Pe. Alberione afirmou: “Eu mesmo quis que se promovesse esta Causa de Beatificação, porque tenho grande apreço pelas virtudes do Servo de Deus”. O Processo foi aberto em Alba no dia 31 de maio de 1964, aos dezesseis anos de sua morte, e concluído em 23 de junho de 1969. Foi declarado Venerável em 3 de março de 1990 com a assinatura do Decreto, por São João Paulo II, que reconheceu a heroicidade do Frei Ricardo André Maria Borello, ssp. É necessário um milagre reconhecido pela Igreja, e atribuído à intercessão do Venerável, para chegar à Beatificação.

Oração

Senhor nosso Deus, para comunicar ao mundo vosso amor de Pai, enviaste à terra vosso Filho único Jesus Cristo, e o constituíste Mestre, Caminho, Verdade e Vida da humanidade. Por intercessão de vosso fiel discípulo, o Venerável Irmão André Maria Borello, fazei que os instrumentos de comunicação social: imprensa, cinema, rádio, televisão, vídeo, Internet e todos os audiovisuais, sejam sempre empregados para a vossa glória e para a elevação humana e espiritual das pessoas e da sociedade.

Pelo sacrifício da vida ainda jovem do vosso servo Borello, multiplica na Igreja e no mundo os sacerdotes, religiosos e leigos que se consagram a este multiforme apostolado e inspirai a todas as pessoas de boa vontade a cooperar com a oração, ação e meios econômicos, a fim de que, com esses poderosos meios, a Igreja proclame o Evangelho a todos os povos. Glorificai este fiel discípulo, e por sua intercessão concedei-nos a graça que agora vos pedimos… (Pedir as graças de que necessita).

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

Ó Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tende piedade de nós.

Rainha dos Apóstolos, rogai por nós.

São Paulo Apóstolo, rogai por nós.

De todo o pecado, livrai-nos, Senhor.

Venerável Frei Ricardo André Maria Borello, ssp

Local de nascimento: Mango (Cúneo, Itália).

Data de nascimento: 8 de março de 1916.

Morte: 4 de setembro de 1948, Sanfré (Cuneo, Itália).

Venerável: 3 de março de 1990.

_____________________________

RECADO ÀS FAMÍLIAS
Todo dia 18 de cada mês, na Paróquia Santo Inácio de Loyola, na missas da manhã às 7,30 e a tarde às 18 horas, acontece um momento de oração a Mãe Peregrina.Todo dia 18 de cada mês, na Paróquia Santo Inácio de Loyola, na missas da manhã às 7,30 e a tarde às 18 horas,  acontece um momento de oração a Mãe Peregrina.
Vamos pedir a proteção de Deus para nossas famílias. Venha celebrar e participar com a gente.

_____________________________

Batismo: testemunhar a fé na família.Batismo: testemunhar a fé na família.

O segundo sábado de cada mês é sempre muito especial na paróquia Santo Inácio de Loyola. É o dia em que acontecem os batizados comunitários. Por isso, o dia 10 de fevereiro foi uma data de particular alegria para os pais, padrinhos e familiares de três meninas: Maria Luíza, Maria Eduarda e Maria Helena. Pe. Mário, que realizou o sacramento, destacou que, em sua vida de sacerdote, nunca havia batizado, simultaneamente, três meninas chamadas Maria.

O sacerdote lembrou da importância do Batismo na vida da criança e dos pais: a necessidade de testemunhar a fé por parte dos pais e padrinhos. Recordou que, ao batizarmos um filho ou nos tornarmos padrinhos, estamos nos tornando responsáveis, perante a Deus, pela vida destas crianças

_____________________________

ATIVIDADES  DIVERSAS  DA PARÓQUIA

Além das atividades normais da vida da paróquia, os trabalhos pastorais, a paróquia esta procurando dar utilidade ao espaço existente proporcionando atividade úteis á comunidade.

Estamos estudando possibilidades de  outras iniciativas. Informações: 5571-1744

Venha você também participar!

PASCOM

GRUPO MADA | Sexta das 19:00hs às 20:45hs Orientação: Márcia


DESENHO | Terça das 14:00hs às 16:00hs | Orientação: Professora Jarina. BRECHÓ | Quarta e quinta das 9:30hs às 16:00hs | Coordenação: Maria, Dulce, Rita e Heloisa.

DESENHO | Terça das 14:00hs às 16:00hs | Orientação: Professora Jarina.
BRECHÓ | Quarta e quinta das 9:30hs às 16:00hs | Coordenação: Maria, Dulce, Rita e Heloisa.


ALFABETIZAÇÃO | Segunda  à quinta | das 19:00hs às 20:45hs | Orientação: Maria de Lourdes ALONGAMENTO | Quarta das 8:00hs às 9:30hs | Coordenação: Proº Luiz.

ALFABETIZAÇÃO | Segunda  à quinta | das 19:00hs às 20:45hs | Orientação: Maria de Lourdes
ALONGAMENTO | Quarta das 8:00hs às 9:30hs | Coordenação: Proº Luiz.


DIABÉTICOS | Segunda das 08:00hs às 10:00hs | Quarta das 08:00hs às 11:30hs | Orientação: Profº Luiz ESCOLA MUSICAL Violão | Sexta período da manhã | Orientação: Profº Antônio

DIABÉTICOS | Segunda das 08:00hs às 10:00hs | Quarta das 08:00hs às 11:30hs | Orientação: Profº Luiz
ESCOLA MUSICAL Violão | Sexta periodo da manhã | Orientação: Profº Antônio


<p><strong>OFICINA ST. iNÁCIO | </strong>Quarta das 14:00hs às 16:00hs | Orientação: Lídia<br /> <strong>ÓLEO SOBRE TELA | </strong>Quinta das 9:00hs às 11:00hs | 14:00hs às 16:00hs | Coordenação: Marcia,</p>

OFICINA ST. iNÁCIO | Quarta das 14:00hs às 16:00hs | Orientação: Lídia
ÓLEO SOBRE TELA | Quinta das 9:00hs às 11:00hs | 14:00hs às 16:00hs | Coordenação: Marcia,


Papa Francisco - Franciscus Jorge Mario Bergoglio 13.III.2013BÊNÇÃO APOSTÓLICA “URBI ET ORBI”

PRIMEIRA SAUDAÇÃO DO PAPA FRANCISCO

NOSSO NOVO PAPA
Franciscus
Jorge Mario Bergoglio
13.III.2013


Pároco: Pe. Mário Pizetta, SSP
Vigário Paroquial: Pe. Antônio Lúcio Da Silva Lima, SSP

Atendimento secretaria:
Secretárias: Marília e Isabel

Segunda-feira: 15:00hs às 18:00hs
Terça a sexta: 08:00hs às 18:00hs
Sábado: das 08:00hs às 17:00hs
Domingo: das 07:30hs às 13:00hs

Horários de Missas:

2ª feira a 6ª feira: 07:30hs e 18:00hs
5ª feira: 12:00hs
Sábado: 08:00hs e 16:00hs
Domingo: 08:00hs, 09:30hs, 11:30hs e 18:00hs

Atendimento de Confissões:

3ª feira: das 08:00hs às 09:00hs
5ª feira: das 08:00hs às 09:00hs e as 16:00hs
6ª feira: as 16:00hs

Preparação para o Batismo:

Dias de preparação:  1ª e 3ª QUARTA FEIRA DE CADA MÊS
Horário: 19:15hs – 21:00hs  (tolerância de 10 minutos)

Celebração do Batismo:

Segundo sábado de cada mês: 09:00hs

Curso de noivos

Maiores Informações:

Endereço – Rua: França Pinto, 115. Cep: 04016-030 – São Paulo – SP

Total Page Visits: 4257

 

Fechar Menu